Raposa Crítica
Freebie Banco de Ideias
Resenhas Literárias
GUIAS TERA ONLINE

A terrível realidade de Westworld

Westworld caiu no meu colo por acaso, enquanto procurava na TV algo para assistir. A nova série de ficção científica da HBO, que estreou dia 02 de outubro, tem uma proposta perturbadora.

Ambientada num parque temático adulto de faroeste chamado Westworld, a história é baseada no filme de 1973 Westworld – Onde ninguém tem alma. Este parque temático funciona como um universo paralelo habitado por robôs que não fazem ideia da natureza de sua realidade e seguem a vida como se fossem humanos reais, nesta pequena cidade eles servem como "anfitriões" para os que são conhecidos como visitantes – pessoas reais -, que podem fazer o que quiserem com eles.

– Você é real?
– Se você não consegue notar a diferença, isso importa?

Todos os dias a rotina desses robôs seguem como a vida pacata de uma cidadezinha, com um roteiro pré-estabelecido que pode vir a mudar conforme o desejo dos visitantes do parque. Uns querem apenas passear e relaxar, conhecer de perto aqueles robôs idênticos aos humanos inclusive em reações, outros tem desejos mais perversos. Tudo é vendido, e os robôs durante a visitação podem ser assassinados e violentados pelos visitantes, sendo que os robôs jamais conseguem se defender.

westworld

Dolores Abernathy é a anfitriã mais antiga de Westworld.

Possuindo emoções muitas vezes idênticas aos dos humanos, para os robôs tudo que o que acontece é real, mesmo que seja resetado todas as manhãs. E o objetivo é que eles fiquem cada vez mais humanos, sendo que a última atualização no sistema, chamada na série em tradução livre de "devaneio", realizada pelo chefe de programação Dr. Robert Ford (Anthony Hopkins), alguns robôs começam a mostrar comportamentos estranhos e defeituosos, inclusive traços do que podemos chamar de consciência.

O que pode acontecer a partir do momento em que um robô passa a questionar a natureza da sua realidade? Quando ele descobre que é ferido, assassinado e abusado sexualmente para satisfazer desejos sádicos de humanos? Humanos realmente estão livres de qualquer punição por fazerem esse tipo de coisa com robôs apenas por serem robôs? Mesmo eles sendo tão parecidos com humanos ao ponto de sangrarem, chorarem e gritarem em desespero? Teria um robô o direito ao livre arbítrio?

O primeiro episódio da série é denso e cheio de ação. Cheio de questões como ética, inteligência artificial e tecnologia que certamente serão marteladas a cada segundo na sua cabeça. Para quem gosta desse tipo de debate, de ficção científica ou está órfão de uma série para acompanhar nos domingos (23h) na HBO, Westworld é uma ótima pedida.


Com um elenco de peso, vale a pena prestar atenção na atuação de Louis Herthum como Peter Abernathy e Evan Rachel Wood como Dolores Abernathy. Também estão cotados Anthony Hopkins, Ed Harris, James Marsden, Jeffrey Wright, Thandie Newton e Rodrigo Santoro. A produção ficou por conta de J.J.Abrams (Lost, Star Trek), Jonathan Nolan (Interestelar, Person of Interest) e Lisa Joy (Burn Notice).

Coloque Westworld no seu Banco de Séries e acompanhe, mas não se esqueça de me contar o que achou ou se já viu alguma outra obra com proposta parecida.

'Para Cada Infinito' me fez querer jogar RPG!
A visão sobre a mulher de Zack Magiezi em 'Notas sobre Ela'
Refúgios e histórias em 'Minha Vida Fora dos Trilhos'

Receba as novidades:

14 comentários
  • Rayanne Buchweitz

    Será que fiquei completamente consumida pela vontade der ver? Pois sim, fiquei mesmo.
    Com certeza vou aproveitar esse final de semana pra ver os episódios que já saíram. Tem uma temática tão forte mas que acaba nos puxando mesmo pra dentro da história!
    Beijão

    Responder
    • Jade Amorim

      Essa série realmente deixa todo mundo alvoroçado. Depois me conta o que achou! :*

      Responder
  • Bruna_cezar

    Uouu,preciso assistir urgentemente parece ser uma série muito boa rs

    Responder
    • Jade Amorim

      É ótima sim, Bruna! Não deixe de assistir!

      Responder
  • Allana Império

    Caramba, que pesado. Ao mesmo tempo em que fico com vontade de conhecer, me sinto receosa, por ter uma temática tão forte que poderíamos adaptar até a nossa realidade. Se nesta série existem pessoas que violentam os robôs, em nosso meio existem pessoas que fazem o mesmo, com pessoas! Me lembrou um pouco AI (minha infância, vamos lá!). Gostei bastante da sua resenha, muito bem estruturada.
    Abraços!

    Responder
    • Jade Amorim

      De fato Allana, Westworld é uma daquelas histórias que te fazem pensar, e de certo modo se sentir mal com a realidade. É pesado, mas é TÃO bom! É uma história extremamente bem trabalhada, vale a pena dar uma olhada.

      Responder
  • Daniel

    Estou acompanhando Westword, amo a temática e a série me prendeu logo nos primeiros minutos. Espero ver cenas da sociedade humana para que possamos nos situar em relação à época em que a série se passa e possamos compreender também o comportamento dos humanos que visitam Westword, né? Mas nos dois episódios que assisti, já deu pra perceber que a série tem uma riquesa de enredo e uma trama extremamente densa. E bom… Evan Rachel Wood <3.

    Responder
    • Jade Amorim

      Daniel, acredito que esse não vai ser o foco, mas provavelmente vai mostrar um pouco sim do mundo lá fora. Esse segundo episódio me deu um nó na cabeça, e em você ? O enredo tá sensacional, na minha opinião, eu não to podendo nem piscar direito senão perco alguma coisa! rs

      Responder
      • Daniel

        Hahahaah, o enredo é realmente uma maravilha. Tu conhece as Leis de Asimov? Já tenho notado que eles seguem algumas delas em relação aos robôs do parque,, adoro essas referências <3

        Responder
        • Jade Amorim

          Asimov é meio que uma regra para quem fala sobre robôs né? Eu acho isso bom, cria uma certa coerência. ♥

          Responder
  • Thainá Christine

    Assisti essa série na estréia, e acredito que deu um nó na minha cabeça. Eu me senti tão confusa e tão assustada ao mesmo tempo, que não sabia o que pensar. Aos poucos fui me habituando com o enredo, mas sem entender muita coisa, até porque achei que nesse primeiro episódio ficou centenas de coisas em aberto e que ainda serão desenvolvidas posteriormente. Mas, posso dizer que adorei a série! Creio que essa veio realmente para nos fazer pensar, e não apenas entreter. Tem um grande futuro pela frente, e sinto que em poucas semanas eu terei alguma fobia de inteligências artificiais, rs.

    Responder
    • Jade Amorim

      Eu não acho que terei fobia de IA, acho que terei fobia de gente, porque os robôs nada mais são do que consequência da capacidade de criação humana, não é verdade? rs
      De qualquer maneira, continuarei assistindo porque eu adoro séries que me instigam assim.

      Responder
  • Luigi

    Essa série ficou genial. Sabemos que é suspeito o Luigi falar de western, mas ficou mesmo do caralho. Toda a ideia de robótica, revivendo cidades inteiras com essa temática do velho-oeste, Estou louco para o próximo episódio :>

    Responder
    • Jade Amorim

      Luluuuuu, cê viu o episódio dois que negócio sensacional ? O negócio só melhora. hahahaha

      Responder

Receba as novidades: