Posts in Category

Contos

Já sai sem muita coisa comigo, menos sem um livro. Sempre há um livro debaixo do braço. Ficção, romance, fantasia, horror, aventuras ou científicos movidos à pura curiosidade. Cada pequeno traço, raciocínio e gesto é reflexo do que um dia foi absorvido de um pouco de tinta num pedaço de papel. Nunca quis protagonizar nada no mundo, ter uma perspectiva apenas como referência não agrada. Prefiro enxergar o panorama inteiro, estar ali, afastada e invisível, uma eterna espectadora de histórias e conhecimentos de milhares de vidas que jamais conseguirei viver

Sei que nos momentos difíceis você vai estar lá. Sei que quando minha TPM me fizer chorar sem motivo, você aparecerá com chocolate e abraços. E eu não precisarei nem pedir, porque você já sabe apenas com um olhar. Quando eu tiver medo, você segurará minha mão. E no dia em que eu fizer algo estúpido, você vai respirar fundo, me olhar nos olhos e chamar minha atenção. Você me faz rir, me protege, me entende quando digo que quero apenas ficar sozinha num canto. Você é meu amigo, meu melhor

Pessoas são instáveis, vagarosas e egoístas. Não são confiáveis, em absoluto. Um dia te abraça e te beija, no outro abraça e beija outro. Qual a necessidade de se manter alguém assim por perto senão por masoquismo e a própria insegurança? Você quer fazer parte de algo. Eu quero estar fora de tudo. E você diz que não vivo por eu não querer me rodear de semelhantes que lutam para ser diferente… de uma maneira igual. Veja bem, a sua concepção de vida da minha se provam bem controversas. Quem

Eu me perco dentro das coisas facilmente. Dentro de hobbies, objetivos, sentimentos e pessoas. Eu me perco porque provavelmente nunca me encontrei. Eu me procuro. Sei onde estou, mas me procuro em outros lugares. Medo de me achar, talvez? Eu me perdi em você. Me perdi enquanto me procurava. No meio do caminho, eu te baguncei. Eu tirei suas coisas do lugar e não devolvi, derrubei seus ornamentos e empurrei os móveis. Perturbei sua calmaria. Sinto muito. Eu tenho esse péssimo hábito que toma o controle de mim quando não

Tem algo bonito na nossa tristeza. Eu não sei bem o que é, mas consigo sentir claramente a diferença dela pras outras tristezas que compartilhei. É difícil definir, mas acho que tem algo bonito nessa nossa história esburacada. Um sorriso, um afago um sentimento compartilhado e separado. Não sei dizer muito bem o que eu acho desse sentimento, imagina deduzir o que você concluiu. Eu só sei que tem algo bonito nessa nossa tristeza. Sei disso porque não importa que meu peito esteja sendo comprimido a ponto de a dor

Deixe seu recado após o sinal… Oi, sou eu… Você sabe quem, a que se tornou “aquela que não deve ser nomeada” na sua rodinha de amigos. Desculpa estar ligando, foi impulso. Nem sei o que pretendia dizer, é só que… eu andei pensando muito em você ultimamente, falando muito sobre você. Vieram me perguntar, você sabe, o que aconteceu. Você não contou para ninguém, mas alguns tiraram suas próprias conclusões e está sendo difícil pra mim continuar sendo uma boa recruta, sorrindo e acenando como se nada tivesse acontecido.

A estante

Ela olhou para cima e viu uma imensa criatura com ares de mariposa passando. Olhou a direita e pôde ver um castelo pontudo no alto de uma colina. Olhou a esquerda e encontrou um casal de mãos dadas, tímidos e chorosos. Teve vontade de chorar também. Separação sempre lhe deu aperto no peito. Suspirou. Tirou uma mexa do cabelo pensou o que encontraria se vasculhasse um pouco mais. Imaginou se sentiria o vento batendo em seus cabelos enquanto cavalgava para salvar uma princesa qualquer, ou aquele medo e ansiedade por

Eu o conheço a muito tempo, mas ele nunca me conheceu. É aquele tipo de pessoa que passa por você no corredor da faculdade e chama a sua atenção. Não por atração, excesso de beleza ou um perfume chamativo, apesar de ter todos os dois últimos. Já ouvi a voz dele de longe, talvez num dias desses que ele ficou perto de mim numa fila aleatória que todo universitário se acostuma a ficar. Tem um sotaque forte de quem não é da região, nem do país. Não sei que curso

Chegou fazendo piada, a voz esganiçada e rindo. Tinha porte bom, o corpo corpulento de alguém que foi atlético no passado. Vinha acompanhado da mulher, uma figura diminuta e de olhar dominante. Por mais que risse das próprias piadas, os olhos azuis encobertos por grossas sobrancelhas levemente grisalhas estavam sérios e cautelosos. Discretamente ele escaneou cada um de nós como um cordeiro que analisa o predador a procura da melhor maneira de escapar. Seu nervosismo era tão perceptível quanto o vento frio que sacudia as janelas, as mãos não paravam

 Canções de Apartamento, 2. Vagalumes Cegos   Parte 1   .  Nem sei Dessa gente toda Dessa pressa tanta Desses dias cheios Meios-dias gastos  . . Lembro daqueles dias como quem se lembra de uma alucinação. Distorcido, pirotécnico e distante. O mundo parecia correr mais rapidamente do que meu cérebro podia acompanhar, ou talvez minha mente que tivesse entorpecida demais para entrar no ritmo acelerado desse nosso século. Cheguei em muitos lugares sem me lembrar do caminho que havia percorrido, assisti muitas aulas sem me lembrar, logo após ter saído

1 2 Page 1 of 2