Posts in Category

Resenha

Não, o velório open bar não é o principal de O Colecionador, da fabulosa Nora Roberts. No entanto, é algo que eu realmente quero todo mundo fique sabendo logo de início. Eu não consigo superar diversas coisas neste livro, mas definitivamente o que eu menos consigo superar é que teve um velório open bar. Lila nunca vivenciara nada assim. Apesar da estranheza de um open bar e da decoração totalmente branca, a dor que as pessoas sentiam era verdadeira e profunda. O Colecionador foi de longe um dos melhores livros que eu já li

Esta é a primeira vez – de muitas ainda por vir, espero eu -, que escrevo uma resenha para o blog da minha coleguinha Jade, a maravilhosa. Além disso, publicar resenhas minhas de modo geral é outra coisa inédita na minha vida e que está me deixando um pouco mais nervosa do que eu gostaria de admitir. Então vamos logo e sem mais delongas falar sobre o livro Nossas Horas Felizes, da autora sul-coreana Gong Ji-Young. O fim da tarde escuro era quebrado apenas pelos raios alegres e coloridos dos

Maio foi um mês complicado pra mim em questão de leitura. Tava com dois livros simultâneos empacados em que eu tentava em um, não dava, ia pro outro. Foi quando chegou, ali na metade do mês, O Segredo de Heap House aqui em casa. Tinha solicitado ele em abril, completamente apaixonada pela premissa de fantasia. Ignorei todas as outras leituras atrasadas e torci para que fosse esse o livro a me tirar da ressaca. E como tirou. Para começar a falar sobre O Segredo de Heap House eu só consigo pensar

Quando li a news da Panini anunciando o lançamento de Shigatsu wa Kimi no Uso (Your lie in april, no mangá), eu quase chorei de emoção. Tive o meu primeiro contato com a obra em forma de anime, lançado em outubro de 2014 e finalizado com 22 episódios, que logo se tornou uma das minhas histórias favoritas. Esperei ansiosamente pelo lançamento, e pretendia trazer a resenha da obra aqui para o blog em abril. Porém, o lançamento do primeiro volume que estava previsto para o dia 28, só chegou dia

Uma das minhas metas do ano era ler mais livros de Neil Gaiman. Apesar de conhecer seus quadrinhos, pouco sabia de seus livros.Dentre todos os seus livros, Deuses Americanos foi o que mais ouvi falar. Eu precisava ler, eles diziam. Contudo, por o livro ter um preço um pouco salgado, posterguei a compra até o dia que fiquei sabendo da série. E Deuses Americanos é um livro estranho. É um livro muito bom, mas é um livro estranho. E, talvez exatamente por isso, nestes dois primeiros episódios da série lançada pela

Ontem a Netflix finalmente soltou a segunda temporada de Sense8 e o fandom foi à loucura. Maratonei com meus amigos no mesmo dia e estamos tremendo. Colega, sentimos o impacto. Que sensacional. Sendo uma das minhas séries favoritas, me senti na obrigação de tentar te convencer a amar também. 1. A série é totalmente sobre empatia O conceito de ser um sensate é exatamente ter um grupo que sente absolutamente tudo que você. A série é totalmente sobre relações intrapessoais e se conectar com outra pessoa. Medo. Amor. Prazer. Tristeza. Tudo aquilo

Se eu disser que o que me atraiu pela leitura de Matéria Escura foi algo além da capa, estaria mentindo. Sem nunca ter ouvido falar do livro, foi durante uma promoção em que eu andava pelos corredores da Saraiva que ele chamou minha atenção. A edição em capa dura faz com que Matéria Escura tenha sido o primeiro livro desse material que encontrei da Intrínseca. É interessante observar como a Darkside Books acabou forçando um novo nível de qualidade das outras editoras. Ao ler a sinopse, o livro ganhou mais ainda

Faz tempo que me afastei da leitura de histórias de romances, mas é um dos gêneros que mais li até hoje. Minha autora favorita durante a adolescência, junto com o Zafón, era Meg Cabot. Não nego que um romance água com açúcar é uma boa pedida para relaxar entre uma leitura mais densa e outra. Foi com esse pensamento que optei por pegar o livro A chama dentro de nós, da autora Brittainy C. Cherry, lançado pelo Grupo Editorial Record no selo da Galera Record. Já tinha ouvido falar da autora por ter

Você já imaginou acabar com a sua vida? Considerou-se capaz de listar todos os motivos para fazê-lo? Já se desesperou por ser incapaz de sentir qualquer coisa? Ou até mesmo questionou qual o objetivo da sua existência? Eu já. Raiva. Desespero. Dor. E então um grande nada. É como se no meio de todo o turbilhão você tivesse chego em um grande lago de água parada. Você sente a pressão nos seus ouvidos e tudo que escuta parece muito distante. É como se tivesse correntes amarradas nos seus pés te puxando

Medo, choque, desconforto e nojo são características sempre atribuídas ao gênero do terror, mas poucos sabem que também são características do horror, um gênero pouco conhecido e sempre confundido com o citado anteriormente. Os cemitérios, as trevas, os fantasmas, os seres monstruosos e, mais atualmente, os fracassos e os mistérios da ciência são os elementos principais do horror. Foi por intermédio da literatura gótica que o horror começou a ser pregado, mas foi com Edgar Allan Poe que o mundo foi apresentado ao horror visível, com acontecimentos espantosos, porém definíveis como os contos

1 2 3 Page 1 of 3