Posts in Category

Resenha

Ligar os pontos. Minha mãe dizia que olhar as estrelas tinha a ver com isso. Lá em cima é como aqui embaixo, Jackie. Você precisa procurar as coisas que nos conectam. Encontrar os jeitos com que nossos caminhos se cruzam, nossas vidas se interceptam e nossos corações se encontram. Me sinto incapaz de começar essa resenha de outra maneira. Na verdade, pra qualquer lado que eu olhe é difícil começar essa resenha, pois os sentimentos que Em algum lugar nas estrelas me despertou são difíceis de exprimir em palavras. Terminei a

Para escrever sobre qualquer jogo da Paradox Entertainment, uma Bíblia não seria o suficiente. Talvez no máximo, com muito carinho, um bom começo. Com isso em mente, decidi oferecer uma opinião sobre porque o delicioso Stellaris (steam) merece sua atenção, dinheiro, e tempo de vida. Concebido pela empresa como uma forma de abrir seu catálogo de jogos cult para um grupo mais abrangente (ou, pelo menos, de nicho, algo que Grand Strategy sempre foi dentro do mercado de games). Stellaris é um “4x”, – termo inicialmente humoroso para a (sub)categoria de

Baseado na semi-autobiografia do mesmo nome, escrita por Akiyuki Nosaka, de 1967, Hotaru no Haka (O Túmulo dos Vagalumes, em tradução livre) é um filme de 1988 ambientado no Japão pós bombardeamento americano de Kobe em 1945. A história é de Seita e sua irmã Setsuko, duas crianças japonesas que tiveram sua vida devastadas pela guerra. Eles perderam sua mãe, sua casa e a perspectiva de qualquer futuro – tudo consequência de um único bombardeio. Agora órfãos e sem onde morar, os irmãos não tem escolha senão vagar por um país

Sempre tive uma curiosidade mórbida em assuntos envolvendo a mortalidade, tendo até participado de uma exposição de arte cemiterial durante uma viagem turística no começo do ano em Salvador (uma das experiências mais inusitadas da minha vida), e quando me deparei com esse livro, lendo seu slogan “Um livro para quem planeja morrer um dia”, foi uma decisão de compra imediata. Aceitar a morte não quer dizer que você não vai ficar arrasado quando alguém que você ama morrer. Quer dizer que você vai ser capaz de se concentrar na sua

Em clima de halloween, optei por trazer essa semana a resenha de um mangá que me perturbou dias a fio. Uzumaki – A Espiral do Horror é um quadrinho japonês de 1998 do autor Junji Ito, famoso no japão por suas histórias do gênero horror. Com apenas 3 volumes, divididos em 19 capítulos, Uzumaki conta a história de uma pequena cidade chamada Kurozuchou, que é amaldiçoada não por uma pessoa ou entidade, mas por um padrão: espirais. Esse hipnótico padrão está por todos os lugares. Ele se manifesta em pequena escala:

Com uma trilha sonora emocionante, história envolvente e animação 2D de encher os olhos, Ori and the Blind Florest esconde um jogo de plataforma de dificuldade mais que considerável. Com forte influência do estilo de jogo metroidvania, você será submergido por horas antes de perceber. Com um único mapa cuja as áreas do mundo são desbloqueadas conforme a história evolui e vai ter tempo pra chorar, se emocionar e quebrar a cabeça.  A história é centrada no personagem Ori, um jovem órfão morador do mundo de Nibel, que após uma grande

Westworld caiu no meu colo por acaso, enquanto procurava na TV algo para assistir. A nova série de ficção científica da HBO, que estreou dia 02 de outubro, tem uma proposta perturbadora. Ambientada num parque temático adulto de faroeste chamado Westworld, a história é baseada no filme de 1973 Westworld – Onde ninguém tem alma. Este parque temático funciona como um universo paralelo habitado por robôs que não fazem ideia da natureza de sua realidade e seguem a vida como se fossem humanos reais, nesta pequena cidade eles servem como “anfitriões”

Existe sempre um momento em que você para e pensa sobre todas as escolhas da sua vida. Se disse a coisa certa, se era realmente necessária aquela discussão ou se a omissão tinha sido realmente uma boa opção.  O problema é que a gente só pode descobrir depois de ter acontecido, e depois de acontecido não podemos mudar. Mas não em Life is Strange. Eu não sabia exatamente sobre o que esperar quando resolvi comprar esse jogo. Sendo bem honesta, eu não sabia sequer o motivo de comprá-lo, já que

Nome: Tony & Susan Original: Tony and Susan Autor: Austin Wright Gênero: Ficção, romance Páginas: 336 Editora: Intrínseca Sinopse: Há vinte e cinco anos, Susan Morrow deixou Edward Sheffield, seu primeiro marido. Certo dia, instalada confortavelmente na casa em que mora, com os filhos e o segundo marido, inesperadamente ela recebe, pelo correio, um embrulho que contém o manuscrito do primeiro romance escrito por Edward. Ele lhe pede que leia seu livro: Susan sempre foi sua melhor crítica, justifica. Tony e Susan, de Austin Wright, publicado originalmente nos Estados Unidos

Nome: As Luzes de Setembro Original: Las Luces de Septiembre Autor: Carlos Ruiz Zafón Gênero: Ficção, romance Páginas: 232 Editora: SUMA das letras Sinopse: Durante o verão de 1937, Simone Sauvelle fica de repente viúva e abandona Paris junto com os filhos, Irene e Dorian. Eles se mudam para uma cidadezinha no litoral da Normandia, e Simone começa a trabalhar como governanta para Lazarus Jann, um fabricante de brinquedos que mora na mansão Cravenmoore com a esposa doente. Tudo parece caminhar bem. Lazarus demonstra ser um homem agradável, trata com

1 2 3 Page 2 of 3