Posts in Category

Nerdices

Nessa primeira semana do projeto passei por grandes perrengues. Quem me acompanha no twitter deve ter presenciado um ou outro mimimi. Desculpe. E nesses dias o projeto foi um grande desafio. Caramba, como ser feliz é difícil! O maior desafio foi as estrelas. Estava fazendo umas três quatro por dia, sendo bem abrangente quanto aos temas, uma produção muito baixa se for comparada à quarta-feira passada que, olha, foi um dia tão surreal que parecia até cilada. Foram mais de 15 estrelas pro pote! Yay! O #100HappyDays consistia no desafio

Depois que eu conheci o Spotify, aposentei o Youtube para escutar música. Já andava tendo um problema com download, pois tenho 16GB de músicas no computador e, ainda assim, muita coisa por baixar. Ouvir online se tornou uma necessidade. Para quem não sabe, o Spotify é perfeito para escutar música online, tanto discografias nacionais, internacionais, quanto pra fazer sua própria playlist e compartilhá-la com os outros. Isso tudo além de ser  uma rede social, pois você pode seguir seus amigos e artistas favoritos e ficar por dentro do que eles

 Canções de Apartamento, 1. Tempos de Pipa . Mas tudo bem O dia vai raiar Pra gente se inventar de novo  .   . Lembro-me muito bem da primeira vez que escutei aquela voz melancólica e serena. Lembro-me como, num primeiro momento, eu não as assimilei por estar com a mente concentrada no coração apertado e a dor lacerante que o atormentava. Lembro-me do aconchego e do silêncio de seu corpo. De como, pela primeira vez em toda minha existência medíocre, o consolo foi um abraço apertado e palavras que

Marina me disse um dia que a gente só se lembra do que nunca aconteceu. Com isso ela também poderia ter dito o que Zafón complementou em outro livro dele, que as pessoas que pensamos amar são apenas sombras na alma de um estranho. Ou talvez, parafraseando mais uma de suas obras, que a pessoa que a gente vê nada mais é que um personagem oco, e a verdade se esconde sempre na ficção. Ela nunca falou de alguém pelo nome, Zafón disse pela boca de outro personagem seu, e

Nome: Tony & Susan Original: Tony and Susan Autor: Austin Wright Gênero: Ficção, romance Páginas: 336 Editora: Intrínseca Sinopse: Há vinte e cinco anos, Susan Morrow deixou Edward Sheffield, seu primeiro marido. Certo dia, instalada confortavelmente na casa em que mora, com os filhos e o segundo marido, inesperadamente ela recebe, pelo correio, um embrulho que contém o manuscrito do primeiro romance escrito por Edward. Ele lhe pede que leia seu livro: Susan sempre foi sua melhor crítica, justifica. Tony e Susan, de Austin Wright, publicado originalmente nos Estados Unidos

Nome: As Luzes de Setembro Original: Las Luces de Septiembre Autor: Carlos Ruiz Zafón Gênero: Ficção, romance Páginas: 232 Editora: SUMA das letras Sinopse: Durante o verão de 1937, Simone Sauvelle fica de repente viúva e abandona Paris junto com os filhos, Irene e Dorian. Eles se mudam para uma cidadezinha no litoral da Normandia, e Simone começa a trabalhar como governanta para Lazarus Jann, um fabricante de brinquedos que mora na mansão Cravenmoore com a esposa doente. Tudo parece caminhar bem. Lazarus demonstra ser um homem agradável, trata com

“Rheita era a única neta de um joalheiro falido. Seu pai havia desaparecido antes da menina nascer e sua mãe falecera no parto quando lhe dera à luz. Morava num país pequeno e isolado, muito ao norte, conhecido como Reino do Vinagre, numa época em que os lampiões ainda iluminavam as ruas de tijolos. Ainda em luto e rancoroso, Dordi Gornef, o velho joalheiro, por 10 anos mantinha em segredo uma grande descoberta: o significado da marca de um S que Rheita carregava na palma da mão. A menina, desde

Nome: A menina que não sabia ler Original: Florence and Giles Autor: John Harding Gênero: Ficção Páginas: 282 Editora: LeYa Sinopse: 1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e escura mansão, onde nada é o que parece, a pequena Florence é negligenciada pelo seu tutor e tio. Guardada como um brinquedo, a menina passa seus dias perambulando pelos corredores e inventando histórias que conta a si mesma, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que um dia Florence encontra a biblioteca proibida da mansão. E passa a devorar os livros em

Feliz dia do Orgulho Nerd! Que todos andem com suas toalhas na mochila hoje! Fanfic é a abreviação do termo em inglês fan fiction, ou seja, “ficção criada por fãs”. Trata-se de contos ou romances escritos por terceiros, não fazendo parte do enredo oficial do livro, filme, HQ ou mangá/anime a que faz referência. – Fonte Uma coisa que sempre me incomodou é aquela expressão “fan-oquê?” que saia naturalmente da boca das pessoas que me escutam dizendo que originalmente, antes de começar com o blog e entrar pro jornalismo, eu

Condição

  O coração já não dava reviravoltas, as borboletas não voavam no estômago e as mãos continuavam secas. Sua presença não desencadeava mais nenhuma sensação estranha, era como se estivesse na frente de qualquer outra pessoa. O amor já não era avassalador, era monótono e sem sentido. Mas será que ainda era amor? Talvez eu não tenha notado quando os ‘eu te amo’ se tornaram ‘eu gosto muito de você’, ou talvez não aceite essa condição, que o amor já não existe. A pergunta anterior era feita com frequência demais,

1 4 5 6 Page 6 of 6