A depressão e as festas de fim de ano

Não existe um cenário da minha vida em que eu goste de festas de fim de ano. Conheço as tradições, participo, respeito, mas não gosto delas.

Final de ano é sinônimo de memória. Comemorar o que foi conquistado, o que se planeja conquistar no próximo ano, fazer um brinde por simplesmente estar vivo. A época nos ajuda a ter uma desculpa para gastar dinheiro, extrapolar nossos limites, fazer tudo no modo “demais”.

O mundo parece ficar envolto por uma atmosfera diferente, mais feliz. Gente que virava o rosto pra você na rua agora vem te desejar boas festas; as pessoas passam a tolerar coisas que geralmente não o faria porque “Ah… é natal, deixa pra lá”. Vamos ser amigos, vamos nos amar.

Pois é.

Não existe época no ano em que eu me sinta mais alienígena do que essa. Ver pessoas sorrindo com uma energia diferente e ficar olhando, sem exatamente entender como ela consegue. E eu queria me sentir assim também, e então vem a frustração. Por que você não consegue? Qual é o seu problema? O que há de errado em você que você não consegue simplesmente ser enlaçada pelo “clima natalino”?

Existe algo que me impede. Alguma chave que eu não consigo ligar no meu cérebro em que as coisas acabam funcionando numa frequência diferente. E eu odeio festas de fim de ano.

Eu sou obrigada a lidar com pessoas, mais do que o habitual. E eu não gosto, mas que puta falta de respeito a minha não fazê-lo, afinal, é fim de ano! Temos todos que estar felizes, todos de mãozinhas dadas. E aí você engole as suas vontades, os seus medos, o seu desconforto e vai lá cumprimentar gente que não olhou na sua cara o ano inteiro…

Mas é fim de ano, Jade. Por que você está infeliz? Vem, vamos sair, vamos beber, vai te fazer bem, não diga que não vai, eu sei que vai, porque é o que faz bem pra todo mundo, você não seria diferente, não é? 

Vem! Vamos fazer retrospectiva do ano que passou, ver todas as coisas boas. Deixa eu esfregar a minha felicidade na sua cara, enquanto eu digo que quero compartilhá-la contigo, sem conseguir entender que na sua cabeça as coisas funcionam diferente eu te dizer todas essas coisas, todas essas malditas coisas, só vai te fazer traçar comparativos e se perguntar qual é a merda do seu problema e porquê você não consegue se sentir assim também.

Porque eu não consigo. Me desculpe.

E o problema do fim de ano é que a época funciona como um grande e luminoso lembrete disso.  Enquanto eu vejo meus amigos escrevendo textões de retrospectivas e agradecimentos, eu só consigo lembrar das falhas. De todas as coisas que eu perdi. Todas as dores que eu senti. Tudo que eu não conquistei.

Não importa quantas pessoas tenha perto de mim – confesso que 2016 foi o ano que, por mais que eu tenha perdido e me decepcionado com muita gente, mais consegui me aproximar de amigos maravilhosos -, eu continuo me sentindo sozinha. Absolutamente sozinha.

Porque ninguém sabe como me sinto, e sei que não tenho o direito de acabar com a alegria das pessoas que eu amo só porque me sinto infeliz. Todas as cicatrizes que 2016 me rasgou na pele e que me esforcei tanto para deixar para trás, o fim de ano faz abrir a ferida, jogar sal e suportar a dor calada.

Você não tem o direito de gritar. É natal. 
Related Posts

40 Discussion to this post

  1. Daniele Yui disse:

    Nossa, eu te entendo. Eu sou assim mesmo. não consigo entrar nesse clima, até porque a minha família nunca ajudou muito nesse sentido. Então eu participo e tal, mas parece meio vazio. Enfim. Te desejo um bom ano de 2017. Bjo!

    http://www.pandapixels.com.br

    • Jade Amorim disse:

      Dani, não sei você mas livros são meus melhores amigos nessa data! Fico meio isolada lá nos sofás da vida com meu livrinho! :c Mas que 2017 seja um bom ano! 😀

  2. Eu não sinto nada disso no final do ano? Essa vibe diferente, digo. Pra mim é como um mês como outro qualquer, ainda mais que não temos o costume de comemorar Natal e até Ano Novo aqui em casa. Jantar com a família toda reunida etc etc etc? Nop. É tudo muito igual mesmo, e acho que isso me entristece um pouco rs

    • Jade Amorim disse:

      Nic, deve ser porque sua família não tem a tradição. A minha é super religiosa (bleh), e adora fazer esses teatros sociais. Não fique triste por isso, você pode até curtir se quiser com outras pessoas! 😀

  3. Eu adoro essa época do ano, posso dizer que é o clima que eu mais gosto durante todo o ano! Mas adoro agora que consigo aproveitar porque tenho ao meu redor pessoas verdadeiras e que estão ao meu lado porque são minha família. Porque tenho meu namorado que faz essas datas serem ainda mais especiais. É impossível no ano novo não pensar em todas as coisas que aconteceram, sejam elas boas ou ruins, mas a parte boa é que começar um novo ano é como um suspiro, uma chance de fazer as coisas serem melhores. Que 2017 te traga muitas alegrias <3

  4. “Não importa quantas pessoas tenha perto de mim – confesso que 2016 foi o ano que, por mais que eu tenha perdido e me decepcionado com muita gente, mais consegui me aproximar de amigos maravilhosos -, eu continuo me sentindo sozinha.”
    Guria, isso é tão complicado e delicado ao mesmo tempo. Isso de se sentir sozinha, tem acontecido comigo. Conheci pessoas maravilhosas, me permiti sair mais da minha zona de conforto, mas a sensação de estar sozinha raramente me abandonou.
    Eu associei isso a uma frase do Bauman que diz mais ou menos assim: Vc nunca vai conseguir ter liberdade e segurança ao mesmo tempo, vai viver tendo que escolher entre um e outro. E percebi que na casa dos meus pais tenho essa segurança, e na minha casa liberdade, mas que liberdade e que o vazio que sinto pode ser o de ter segurança e liberdade ao mesmo tempo. E nenhum amigo me passa segurança a esse ponto.
    Enfim, falei demais.
    Espero que seu 2017 seja mais calmo, que tenha bons momentos e sorrisos verdadeiros.

    Beijo

    • Jade Amorim disse:

      Ariana, acredito que essa sensação de solidão é questão de pertencimento, sabe? Por mais que você goste das pessoas, é difícil ter aquela conexão no coração e na alma. Mas a gente se esforça né? Faz o que pode e o melhor todos os dias, torcendo para ser o suficiente. Esperamos que 2017 realmente seja um ano incrível para nós duas. 🙂

  5. Lud disse:

    Confesso que me sinto assim no ano novo. Até gosto do Natal porque minha mãe deixa tudo mais lindo e isso me ajuda. Mas na virada do ano com todas aquelas expectativas falsas e promessas mentirosas não dá. E tu ta mais que certa em não participar disso e reclamar sim! Ninguém é obrigado a nada nessa vida! Beijoo

    http://www.coisadalud.com.br

    • Jade Amorim disse:

      Acho que a pior parte é as pessoas quererem obrigar a todos e ainda olhar feio para quem não entra na vibe, não é verdade? Mas vamos torcer que 2017 seja um ano mais suave com a gente, para chegarmos no fim de ano mais leve! <3

  6. Julia Cunha disse:

    Você não deve, nunca, jamais, em hipótese alguma, agir/pensar/falar o que as outras pessoas esperam. Se elas gostam de criar expectativas? Problema delas! Você tem que ser você e se sentir bem por ser quem é.
    2016 não foi um ano bem fácil pra mim também, coisas boas aconteceram mas coisas ruins também, normal, a vida é um equilíbrio constante entre o bem e o mal. Sei que ficou parecendo algo tirado de uma história, mas é a verdade rs.
    Só te dou uma dica, não se deixe dominar pelos sentimentos ruins, eles nos deixam doentes por fora e principalmente por dentro. Não que você deva ser 100% positiva com tudo, mas não acumule coisas ruins para si, e carregue esse mantra contigo (ele vive comigo e de alguma me faz bem): “O que tiver que ser, amém. O que não, que vire lição.”

    • Jade Amorim disse:

      Julia eu concordo totalmente contigo, o problema é conseguir se convencer disso né? Eu até tenho fases que eu to bastante “problema de vocês suas expectativas, a vida é minha”, mas tem outras que eu fico mais sensível, infelizmente.
      Eu tento digerir e me livrar de todas as coisas ruins sempre, mas tem época que é difícil! Obrigada pelo conselho. :3

  7. Mia disse:

    Eu sempre tive problemas com datas em que a pessoa é obrigada a ser feliz, tipo Natal, Ano Novo e afins. Mas aí me dei conta de que eu não sou obrigada a nada. E eu posso curtir a minha vibe de infelicidade ao lado de gente legal que não vai me forçar a ficar feliz. Até porque só essa coisa de SER OBRIGADA A já dá uma infelicidade dozinfernos. Só viva o seu dia e não te cerque de pessoas que te deixam pra baixo, que te colocam numa obrigatoriedade.

    Beijo!

    • Jade Amorim disse:

      Obrigada a gente não é né, mas que a sensação existe existe né? 🙁 De fato se cercar de pessoas boas é a melhor opção, pelo menos ameniza. 🙂

  8. Superman disse:

    Hey Jade! Bom como começar esse comentário?
    Pois é, eu acredito que a primeira coisa a se fazer é tirar da cabeça a ideia de que precisa fazer o que supostamente todo mundo faz, simplesmente porque não existe formulas de absolutamente porra nenhuma. E sinceramente deixe o mundo fazer o que caralhos quiser! Vida é ineditismo, um coquetel de afetos que ora te deixa triste e hora (hora de tempo mesmo) te deixa alegre.
    Existe uma consciência comum, mas vocês não é obrigada a seguir.
    Então antes de se comparar, antes de se questionar o porque de não se encaixar no cosmos ordenado, se lembre que o cosmo não é ordenado merda nenhum e se o Natal pelo simples simbolo que ele representa ou o que for não te deixa feliz, então seja feliz no ano novo e se no ano novo não der, comemore o aniversário da caixa dia 12/01 o importante é buscar um instante te vida que valha a pena por si mesmo não importa onde for!!!!
    bjos LP
    quatroselos.blogspot.com.br

    • Jade Amorim disse:

      LP, eu concordo totalmente com você disse. Eu sou uma pessoa bem analítica, não sou a maior sentimental do mundo nesses aspectos, mas sabe quando você sabe que não faz sentido se sentir como está se sentindo porém você não consegue deixar de se sentir assim? É mais ou menos isso que me acontece. Eu fico morrendo de ódio, porque sei que é desperdício de energia, de bom humor, de vida, mas meu cérebro não me obedece. O meu caso de depressão é puramente clínico, tanto que quando eu to com meus remédios eu fico super bem e volto pro meu jeito “não ligo pras convenções sociais da vida”. rs

  9. Sei bem como você se sente, já me senti assim muitos anos, principalmente a parte de só lembrar das falhas e dos erros no final do ano. Hoje eu me forço para pensar só nas coisas boas que acabo esquecendo no final do ano, até porque um ano é muita coisa né? Do jeito que minha cabeça é, eu esqueço tudo o que aconteceu no começo do ano e começo a achar que meu ano foi péssimo, por isso faço um esforço pra pensar em todas as coisas boas que aconteceram nele e uso as fotos que eu tiro durante o ano pra me ajudar. Agora eu fico um pouco melhor e buscando pessoas boas para passar a virada junto comigo e assim fazer esse ciclo.

    Beijos!

    • Jade Amorim disse:

      Thami, eu juro que tento fazer isso viu? Mas ainda não to conseguindo ser bem sucedida. 2015 até que isso rolou, mas 2016 foi um ano pesado demais, talvez ,porque meu deus que fim de ano pesado. 🙁

  10. Luana Souza disse:

    Infelizmente isso acontece comigo também. Nunca tive depressão, mas tenho ansiedade e faço o possível para mantê-la sob controle. Essa época do ano (desse ano, em especial) me deixa nervosa, eu fico estressada… e ainda estou preocupada com o que vou fazer da minha vida ano que vem!
    Sou uma pessoa que sente demais… tudo é superlativo comigo, então eu faço o possível para ficar feliz, porque, quando eu fico triste de verdade, é quase insuportável. 🙁
    E o pior é quando a própria família não entende isso…

    • Jade Amorim disse:

      Lu, entendo totalmente seu sentimento. A minha depressão me acarreta em crises de ansiedade terríveis, e aí eu fico muito surtada, porque eu não consigo lidar com estar sentindo demais em alguns momentos e em outros não sentir nada. Confesso que a minha família só me fazia mal, mas ainda bem que eu moro sozinha tem alguns anos e eu pude ter a minha privacidade e conseguir me tratar, depois que eu tive um surto psicótico minha mãe até tenta entender melhor como eu me sinto, apesar de que né, só quem passa por isso sabe como é de verdade.
      O negócio é a gente ir lidando um dia de cada vez, e ir tentando melhorar sempre! ♥

  11. Jade, fique ao lado de quem te faz bem, de quem te faz feliz (em qualquer época do ano). Quando você tem ao seu lado as pessoas que você sabe que pode contar, o seu humor melhora, sua vida melhora. Sei que muita gente fica naquela falsidade de natal, mas apenas ignore essas pessoas porque se não te fazem bem, não são importantes pra você. E se não são importantes pra você, descarte-as do seu ciclo de contatos. Eu passei muito tempo por isso, hoje eu sou mais feliz porque eu escolho bem as pessoas que me rodeiam, as que me deixam pra cima, são essas as que devemos ter ao nosso lado nas festas de fim de ano.

    Beijão,
    Desencana mina

    • Jade Amorim disse:

      Dani, infelizmente por mais que nos cerquemos de pessoas que gostamos (pelo menos a grande maioria), esse sentimento é algo muito particular e interno, sabe? Não é algo que dê para explicar, mas é algo que por mais que outras pessoas ajudem, elas não conseguem suprir. De qualquer maneira, ter pessoas que amamos por perto de fato é fundamental sempre, em 2016 eu exclui muita gente tóxica da minha vida e quero continuar fazendo essa limpeza!

  12. Ane disse:

    Tudo que você disse em seu texto mostra que o que você estava sentindo é um dos piores sentimentos do mundo. Esse ano eu não me sentia no clima de natal e não queria ser uma pessoa falta compartilhando o espirito natalino então me dei de presente um passe livre de natal. E pela primeira vez não comemorei o Natal e confesso que isso foi uma experiencia libertadora.

    • Jade Amorim disse:

      Ane, mesmo que muitas vezes eu deseje não comemorar o natal, ou o ano novo, porque eu não me sinto no clima, ao mesmo tempo eu me sinto completamente sozinha, isolada e com um sentimento de não “pertencimento” se não o faço, sabe? Meu ano novo, inclusive, algumas horas antes dele eu tava chorando horrores em crise sobre isso. haha Mas aí meu melhor amigo me buscou em casa, me deu umas cervejas, me deu atenção e depois eu comi e fiquei bem (talvez fosse só fome, hmmmm). Brincadeira, mas de qualquer maneira, é complicado, mas a gente vai lidando um dia de cada vez (e já passou!).

  13. Eu passei MUITO por isso, de chegar no comecinho de dezembro e querer me trancar em um quarto e só sair pro mundo no próximo ano. Eu não suporto as pessoas fingindo que esta tudo bem só porque ‘é natal’ sorry a expressão, mas meu c* que é Natal, eu não esqueço das feridas…
    Eu só gosto do Natal hoje porque me afastei de tudo e de todos que me faziam mal nesta época do ano;

    • Jade Amorim disse:

      SIM! Nossa, é exatamente essa a vontade! Eu até tento me afastar de tudo e todos que me fazem mal, mas a energia do natal é algo que me pega de jeito. É um negócio contra o mundo, sabe? Às vezes eu vejo as merdas acontecendo e me pego pensando “eu não quero viver num mundo em que as pessoas pensem assim… acreditem nisso… apoiam isso…”. 🙁

  14. Isabele disse:

    Realmente, é um sentimento quem sente entende. Esse final de ano está sendo assim pra mim de uma maneira tão intensa que até eu mesma me assustei. Queria estar em qualquer lugar, menos aqui. É uma sensação esquisita, de não pertencimento…

    • Jade Amorim disse:

      Exatamente, Isa. E isso é tão triste, não é? Eu queria, do fundo do coração, conseguir me animar nessa época do ano, mas não dá. Espero que um dia as coisas melhorem de verdade, e que eu consiga ser contagiada pela ~magia de natal~. rs

  15. Leh Pimenta disse:

    Confesso que me identifiquei muito com o seu texto, só que no seu caso as coisas pioras no final do ano, eu fico assim na epoca do meu aniversario, não consigo ligar a parte que eu tenho que achar lindo as pessoas tocando em mim e comemorando não sei o que, quando eu só consigo capitular tudo que deu errado e porque eu sou tão ingrata assim ao ponto de nunca consegui ficar feliz, eu digo as pessoas eu tenho depressão eu não vejo o mundo na mesma frequência que você, eu me sinto um fracasso a maior parte do tempo e coisas que para você é fácil para mim parece que nunca vai acontecer, eu me sinto sozinha também e perdida a maior parte do tempo,

    Tem dia que eu sou quero desistir, de acorda, de viver de ser legal, só quero me deitar em um canto e dormi, mas dormi também não ta dando.

    http://www.coisasdemineira.com/

    • Jade Amorim disse:

      Leh, i feel you. E eu sinto muito que você se sinta assim. Não consigo ficar feliz em saber que existem pessoas que se identificam com o que eu passo, porque isso eu não desejo para absolutamente ninguém. Muita gente diz tenta se animar, ver o lado positivo das coisas e etc, mas acredito que o melhor que podemos fazer nessa situação é buscar ajuda profissional. Não negligencie sua saúde mental, acredite, isso ajuda. Eu espero que você melhore, e se precisar saiba que pode sempre correr comigo para desabafar. ♥

  16. Seu texto foi profundo, me sinto da mesma forma. As pessoas me acham esquisita só porque não me animo para o natal ou ano novo, para não dizer que estou exagerando, me animo um pouco, por causa da ceia (rsrs).

    • Jade Amorim disse:

      A parte da comida é a única parte que vale a pena nessa época. É sério, porque não vendem panetone o ano inteiro? Melhor pãozinho do mundo!

  17. Liz Chollet disse:

    Eu não sei como te agradecer por esse post, de verdade. O meu natal foi, de longe, o mais complicado de todos. Aquela infelicidade foi multiplicada e ter que fingir uma minima alegria é terrível, Eu não sou obrigada a ser feliz, nós não somos. Mas, ninguém entende, e ninguem nos deixa em paz. Obrigada por compartilhar isso e espero que teu fim de ano tenha paz <3

    • Jade Amorim disse:

      Não me agradeça, eu fico até triste quando eu vejo que tem gente que se sente como eu, porque é algo que eu não desejo para ninguém. 🙁
      Mas sabe qual a melhor parte? Já passou. Agora a gente pode respirar fundo e torcer para que 2017 nos dê um tempinho para lamber as feridas. 😉

  18. Clayci disse:

    “onfesso que 2016 foi o ano que, por mais que eu tenha perdido e me decepcionado com muita gente, ” Esse aon foi assim comigo também, por isso te entendo bem. Espero muito que 2017 seja melhor e que eu consiga me sentir mais confortável para comemorar. Esse ano não consegui mesmo =/

    Beijos e fique bem

    • Jade Amorim disse:

      2016 foi um ano que acabou com praticamente todo mundo, não é? Até assusto quando vejo alguém falando que o ano foi bom, eu fico “eita, e foi?”. Estou começando 2017 com bastante esperança que as coisas vão melhorar! ♥

  19. eu nunca pensava muito sobre o final do ano, mas esse foi complicado na minha família por motivos de doenças com a minha mãe e, estou bem aliviada em nível hard que esse ano tá acabando <3 porém, isso das pessoas falsas nessa época é muito verdadeiro meeesmo hahaha apenas medo! só odeio mesmo é amigo secreto, só de falar/escrever fico com abusinho.
    eu sempre me senti um pouco sozinha, mas nunca achei isso como algo ruim.
    espero que 2017 seja maravilhoso e com grandes conquistas pra gente! 🙂 seus textos são ótimos. beijos :***

    • Jade Amorim disse:

      Acho que o alívio que 2016 acabou foi geral né? Eita aninho complicado! Amigo secretos também me deixam bastante agoniada. Também espero que 2017 seja um grande ano para todos nós! ♥

  20. Adeeh Mello disse:

    Eu consigo te entender super bem, por muito tempo eu não entendia o que tinha nessas festas de fim de ano que faz as pessoas que são tão arrogantes e ignorantes se tornarem um amor da noite para o dia, isso soa meio que falso não sei… Mas eu te entendo e basicamente penso da mesma forma, apesar de que tem uma diferença, eu me agarro nas coisas que me fazem bem, assim em dias como esses, esses pensamentos vão se desfazendo… ♥

    Sorriso de Vida Blog

    • Jade Amorim disse:

      Adeeh, considero isso extremamente falso, e sou o tipo de pessoa que não suporta falsidade, sabe? Me faz mal, absorvo muito da energia do ambiente. Eu até tento me agarrar nas coisas boas, como você disse que faz, porém é complicado pra mim que tenho um caso clínico de depressão, como eu disse no texto, é como se houvesse uma parte do nosso cérebro que não conseguíssemos ligar. rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *