Porque gostar de ler não te faz melhor que ninguém

Quando era pequena, lia tudo que tinha oportunidade. Lembro-me de meu pai, impressionado, comentar: “pra um bom leitor até bula de remédio serve”. Me achei o máximo. Era o tipo de garota que ostentava os livros lidos, e lembro como meu primeiro livro de “gente grande” foi um thriller do Joe Hill, que guardo até hoje com muito carinho na estante.

Como nunca fui muito fã de outras pessoas, preferia ficar no meu canto lendo. E, como minha família não incentivava-me muito no campo da literatura, dava um jeito de conseguir meu próprio dinheiro.

Tinha uma coleção modesta, e quando fui me mudar para fazer faculdade, aos 17 anos, fiquei deprimida ao notar que meus livros todos cabiam em uma única caixa de tamanho médio. Em contrapartida, li incontáveis fanfics. Sites como o fanfiction.net me acompanharam a adolescência inteira. Também escrevia, tentando me inspirar nos meus autores favoritos.

Houve uma época em que concentrei aqui, neste blog, a minha escrita. Em coisas muito mais curtas que contos, apenas textos. É claro como a água que meu interesse literário foi de grande influência para a minha formação. Se hoje concluo o curso de Comunicação Social – Jornalismo, é porque sempre soube que trabalharia com palavras.

Contudo, conforme fui crescendo, a literatura morreu em mim. Descobri que daqueles milhões de palavras que li, nada era realmente aproveitável para a vida. Inclusive, muito delas era nocivo. Afinal, quantas vezes ovacionamos livros que romantizavam algum tipo de abuso? Descobri com o tempo que não importa se você lê, mas o quê você lê.

Aquela primeira frase que eu tinha ficado tão orgulhosa, passou a me soar uma ofensa. Logo eu, que me achava uma pessoa tão evoluída e aquém dos meus iguais, por ter lido algumas dúzias de livros.

Existe um conceito que acho bem válido, mas que não me lembro onde li ou se alguém efetivamente teorizou-o, chamado das armadilhas do ego. E assumo, como quem já fez parte dessa comunidade e continua enxergando isso diariamente, como o ego de um leitor é inflado.

Eles julgam, com tochas e estacas, como ignorantes aquelas pessoas que não gostam de ler. Ou, de maneira mais sutil, apenas se acham melhores porque apreciam o hábito da leitura.

Mas ler não te torna especial. Não gostar de ler não torna ninguém burro.

O que os mais elitizados da literatura usam, para sustentar seu argumento, é uma quote de Mark Twain, um romancista do século XVIII.


“The man who does not read has no advantage over the man who cannot read.”

“Um homem que não lê não tem qualquer vantagem sobre o homem que não sabe ler.”
Mark Twain

Curioso essas pessoas, tão entendidas das coisas, usarem uma quote de uma época em que nem o rádio era algo palpável (foi patenteado apenas em 1902). Não tínhamos rádio, cinema, televisão, internet, documentários. Lá, naquela época, ler talvez fosse realmente algo imprescindível. Afinal, era o único meio de se consumir informação, jornais como o Correio Brasiliense  – primeiro jornal do Brasil -, era feito em edições de livros que tinham mais de 600 páginas cada uma.

Mas agora isso é realmente válido? Não são as pessoas que quotam Twain, as que bradam pelos diversos tipos de inteligência na hora de criticar o nosso tão falho sistema de ensino?

Pessoas não precisam gostar de ler para serem inteligentes, cultas ou algo do tipo. Você que só lê romances e ficção, não é nada diferente ou melhor de quem assiste novelas ou é viciado em filmes.

A literatura não é o único meio de se consumir informação, livros já deixaram a muito tempo de ser algo exclusivo e passaram a ser apenas mais uma plataforma, dentre tantas outras. Acho sensacional como tanta gente julga quem não gosta de livros como burros, mesmo que pessoa seja aquela que lê artigos científicos, acompanha todo tipo de notícias e é piolho de documentários.

Já que você se acha alguém tão especial, tá na hora de aprender a respeitar o gosto dos outros. E não só isso, mas entender que isso é algo normal. Cada um busca aquilo que lhe traz maior satisfação e conforto. Que tal, ao invés de julgar o coleguinha que disse que não gosta de livros, você abra um e comece a ler? 🙂


Edit: é importante ressaltar que eu estou falando de livros. A arrogância que me referencio vem de quem lê literatura, como se literatura fosse algo superior a outros tipos de entretenimento e não apenas mais um.
Related Posts

104 Discussion to this post

  1. Jeniffer Yara disse:

    Eu nunca me gabei por ler muito, até porque esse meu hábito veio bem tardiamente se comparado a outras pessoas que liam desde pequena, como você. Nunca achei que por ler estivesse em um patamar mais alto que os outros, porque tenho exemplos dentro da minha própria casa de que ler muitos livros não te faz alguém inteligente ou mais inteligente do que quem não lê. Na faculdade percebi que minhas leituras não eram literatura e no começo resisti, achando que os livros que gostava eram realmente bom e que era puro preconceito dos que só liam os cânones. Ao longo do tempo e graças ao grupo de pesquisa que participo até hoje, essa minha concepção foi mudando e leio mais autores renomados, confesso, por instrução e entretenimento (já que me vi gostando e muito desses livros), mas compreendendo que existem gostos e gostos e que não só porque leio livros ‘clássicos’ que sou alguém melhor dos que leem os best-sellers (porque ainda tem esse preconceito também entre os que leem). Entendo que essa arrogância literária vem do fato do livro ter sido transformado em algo da elite, na verdade, ele sempre foi. Mas perdura até hoje a ideia de que o livro e a leitura de livros é algo próprio dos mais intelectuais e pessoas sem bom senso se agarram nisso para pensarem que são melhores que os outros. Infelizmente. Mas espero que aos poucos pessoas como você, eu e tantos outros que pensam diferentes desses arrogantes literatos, possam democratizar mais ainda a leitura de livros, seja impresso, digital, adaptados, etc. A arte no geral deve ser democratizada.
    Não sei se tu já leu o texto do Antonio Candido chamado O direito à Literatura, ele é ótimo pra refletir sobre esse tema e outros subtemas que permeiam o assunto.

  2. Isis Binder disse:

    Encontrei esse blog e já veio um texto desses… 🙂
    Apesar dos meus pais nunca terem me negado livros, nunca fui muito dedicada à leitura. Meu negócio sempre foi música e desenho (e, às vezes, derrubar cola e resto de lápis de cor no tapete de casa, pra desespero da minha mãe). Nunca fui muito de falar com pessoas e depois das eleições de 2014 onde se viu tanto ódio gratuito a nordestinos e pessoas de baixa renda ficou ainda mais difícil pra mim ter uma conversa nos messengers de facebook por aí. Sobraram os livros. É estranho dizer que a leitura foi uma forma de isolamento de uma situação incômoda ou, no mínimo, repetitiva e chata, mas… O bom é que são livros que *eu* escolhi, ao invés daquelas leituras obrigatórias p/ vestibular ou p/ as aulas de literatura que eu odiava. Mais tarde acabou funcionando como terapia. Sei lá…De alguma forma aumentar a quantidade de livros “comuns”/”genéricos” me ajudou com a síndrome do impostor e a passar o tempo enquanto me ignoravam sumariamente como profissional num dos empregos que tive. Faz 2 anos que não leio livros técnicos (trabalho com informática…) e não sinto a menor vontade nem falta. Substituí esses por livros de teoria musical e técnicas/estilos de desenho.

    Acho que no final das contas a leitura até produz pessoas melhores, mas não necessariamente no quesito inteligência ou qualidade da redação. Não dá p/ usar a régua generalizada e batida dos outros. É tipo matricular seu filho nas aulas de xadrez acreditando que isso vai deixar a criança mais inteligente e que, milagrosamente, vai melhorar as notas em matemática (passei 4 anos numa equipe de xadrez e vi de tudo um pouco, inclusive uma pessoa que sofria p/ manter as médias e jogava super bem)

    A Divana comentou uma coisa sobre a leitura que me fez lembrar um problema meu na faculdade: de tanto ler material técnico em inglês, cheguei num semestre com o caderno inteiro escrito em inglês. E estava difícil lembrar os termos em português pra escrever na prova (pra falar a verdade eu nem sabia quais eram…) Alguém aí já passou por isso?

  3. Concordo, Jade. Esse posicionamento elitista, esse ar de superioridade, esse ego inflado é bem comum e por vezes nem percebemos que reproduzimos esse comportamento. Que bom que lemos! Que bom que isso nos faz bem! Mas não nos dá o direito de dizer a ninguém para desligar a TV, por pior que consideremos a programação. Boa reflexão!

    • Jade Amorim disse:

      Andressa, exatamente! Fico feliz em saber que você entendeu bem o que quis dizer. Se gostamos tanto de ler, vamos ficar lendo ao invés de perturbar os outros né? rs ♥

  4. Bela disse:

    Jade, muita gente se acha superior por ler livros selecionados por críticos ou narrativas que elas nem entendem sobre a mensagem que quis ser emitida. Para mim, a leitura é uma bagagem cultural e mundos que ninguém pode tirar de nós. É algo mais rico do que todo trabalho por dinheiro.
    Sempre percebi que as pessoas que leem mais, eram especiais, sentiam mais e cresci com essa mentalidade de quem não lê, não é tão bom quanto eu porem percebi que algumas experiencias que tive, elas nunca terão 🙂
    Ótimo post pensamento!!!
    Sorteio Coleção percy Jackson e os Olimpianos | A Bela, não a Fera Youtube | Converse comigo no Twitter!

  5. Adorei seu texto, além de ser muito bem escrito, traz uma ótima reflexão. Concordo totalmente. Sou muito pressionada por meus amigos, rss. Pq eu sou lenta para ler romances e escrevendo o tcc agora, aí que tudo ficou mais dificil, inclusive colocar a leitura em dia. Mas eu amo ler e não acho que isso me torna um ser mais iluminado que ninguém, apenas alguém que gosta de viajar pelo mundo da literatura. Mas, enfim, é uma discussão complexa.

    Adorei saber que faz comunicação. Somos colegas!

    Beijos, ameeeeei seu layout!

    • Jade Amorim disse:

      Amanda, durante o período final da minha faculdade a última coisa que fiz foi ler literatura. Não tinha cabeça para isso. Não se pressione com isso, inclusive, vai com calma e faça o que quiser desde que te faça bem, viu? Fico feliz que tenha gostado, espero te ver mais por aqui! 😉

  6. LP disse:

    Jade, eu creio que muito mais do que o que se lê, devemos ficar atentos ao que fazemos com as informações que obtemos dessas leituras. Até porque aprendizado você tira de qualquer lugar, como já dizia Lex Luthor: “Algumas pessoas leem ‘Guerra e Paz’ e acham que é um simples romance. Outras pessoas leem uma embalagem de chiclete e desvendam os segredos do universo…”
    Por exemplo, vê-se nitidamente que uma imensa porcentagem daqueles que atacam Karl Marx nunca se deram ao trabalho de ler o capital, apenas reproduzem conteúdo de internet, o que é um erro.
    É necessário e de suma importância ver o que se lê. Buscar fontes de informação precisas, e estudar, porque estudar não diz respeito ao prazer imediato. Estudar pressupõe dor, pressupõe desconforto…
    Eu mesmo sou um exemplo nítido dessa pegada. Não leio muito, embora leitura, mesmo a de bula de remédio seja algo imprescindível para melhorar tanto o vocabulário, quanto a escrita, mas consumo quadrilhões de filmes
    Por outro lado, não abro mão de livros tecnicos, Filosofia, sociologia e o que for de fora da minha ossada…
    Sobre Blade Runner, bem. Eu não recuso um bom debate, logo, onde antropologia entraria e quais as referencias que existem no que pode ser considerado cultura nerd?
    E como Star Wars, que é nitidamente referenciado como Nerd, tal qual Star Trek, poderia ser mais do que Blade Runner? A menos que não seja.
    E se não forem o que seria exatamente?
    quatroselos.blogspot.com.br

  7. Mia disse:

    Obrigada por esse texto ♥
    Num país em que basicamente não se desenvolveu uma cultura letrada é ABSURDO exigir que as pessoas a tenham e se sentir superior porque se tem acesso à literatura. Nem todo mundo tem (tempo, dinheiro, informação). Nem todo mundo quer (porque há filmes, novelas, esporte, um passeio com os amigos…). E temos de respeitar que cultura é um composto de vários aspectos de um povo, não algo que habita apenas os ambientes acadêmicos.

    ;*

    • Jade Amorim disse:

      Mia, me abraça por favor! É exatamente isso! Obrigada por existir! hahaha ♥
      Sinceramente, cada um tem que fazer o que mais gosta, e ao invés de hostilizarmos quem não curte ler, temos é que tentar mostrar pra eles porque isso é legal, e respeitar se não rolar né?rs

      Beijos!

  8. Eduarda disse:

    Ain, amei o texto! A sua escrita é simplesmente maravilhosa! Eu amo ler, mas confesso que agora na adolescência tenho muuuita preguiça de começar, sabe? As vezes eu até fico confusa com isso. Mas é que depois que eu começo, não consigo parar, haha! Mas quando eu era menor eu lia descontrolavelmente! O seu texto me chamou muuita atenção logo pelo título. Só li verdades. Me identifiquei demais com o seu texto. Amei muito, tô até sem palavras, hehe! Bjos, Blog Marinspira

    • Jade Amorim disse:

      Eduarda, talvez você esteja tentando ler os livros errados. hehe Eu fico meio ressabiada para pegar pra ler algum livro que não me “chame” de verdade, sabe? Mas tem alguns que eu mal consigo ver a hora para iniciar a leitura! 😉

  9. Uau, esse texto me fez refletir bastante. Acho que já fui esse tipo de pessoa, que se acha superior por ler livros em grande quantidade, ou ver vários documentários. É engraçado, até porque se você parar para refletir, estamos em outra época e agora, os livros não são objetos de elite, e sim mais um meio de entretenimento, As épocas mudam, mas os pensamentos não, lamentável.

    • Jade Amorim disse:

      Acredito. Beatriz, que os pensamentos mudem numa velocidade mais lenta do que a “época”, principalmente por questões como gerações. Mas relaxa, estamos caminhando para deixar tudo melhor! 😉

  10. Toca aqui que somos de humanas O/ . Eu sempre fui incentivada a ler. E não era pouco não. Minha mãe estudou em colégio de freiras, naquela época se estudava literatura, era obrigatório ler (machados de assis, clarice lispector, carlos drummond, cecilia meireles, etc). Eu entendi o foco do seu texto. Mas, o ser-humano sempre foi arrogante em tudo, isso é um fato mais do que comprovado. E lhe pergunto: se você não tivesse lido como estaria o (seu) pensamento? A leitura ela tem o intuito de “abrir mentes”, tirar as pessoas da alienação. Eu assisti a um filme (O livro de Eli), e o autor do filme mostrou bem o que o ser-humano é capaz de deter apenas por conta das palavras. A maior arma daqueles que estão no poder são as palavras e você as consegue lendo. Então, eu não acredito que as pessoas sejam melhores do que outras porque leem, porém eu acredito que a pessoa possa melhorar porque leu.

    Até mais!
    womenrocker.blogspot.com

    • Jade Amorim disse:

      Karolina, eu devo assumir que, em essência, eu discordo de você. Exatamente porque, como você disse, eu li bastante. Mas o que moldou meu pensamento não foi a literatura, essa que eu me referi ao longo de todo o texto, mas o meu estudo. Foram artigos, teses e aulas infinitas sobre antropologia da cultura brasileira, teorias da comunicação e cultura de massas. A gente entende que conhecimento, leitura, e etc, não é um direito, mas um privilégio. Pelo o que você me contou da sua vida, você teve condições de estudar, frequentar bons colégios e teve pais cultos que lhe ajudaram a desenvolver um senso crítico, e você tem esse pensamento por causa disso, não por conta de literatura. O que acontece é que numa análise antropológica geralmente quem tem acesso à livros também é quem tem todas as suas necessidades básicas atendidas, principalmente no que diz respeito ao acesso à educação. Aí associam a literatura a algo elitista, porque né, essa galera tem “dinheiro sobrando” pra comprar livros.
      Lá em 1800 e bolinha a gente até podia considerar isso como verdade, porque naquela época não existia outros meios de comunicação e informação. Jornais eram livros. Estudos, eram livros. Tudo que é informação estava em formato de livros. Hoje é diferente.
      Meus pais são matemáticos, minha mãe é contadora meu pai é bancário. Eles não lêem, mas são pessoas extremamente inteligentes e educadas. Meu amigo é formado em psicologia, e ele olha pra mim e fala: eu odeio ler. E ele é uma das pessoas mais geniais que eu conheço. Isso assim, só no meu circulo de convívio.
      Não digo que a literatura não seja importante, mas acho que ela como o meio de entretenimento que é, não é mais importante que qualquer outro tipo de entretenimento. Contudo se tem algo que eu concordo totalmente é o que você disse no final: as pessoas não são melhores porque leem, mas elas podem melhorar porque leu.
      Só faço um adendo: cada um enxerga o que quer enxergar, e tudo tem algo de bom pra gente extrair. 😉

      Beijos!

  11. Que texto fantástico!! A gente vê muito isso de associarem leitura e inteligência – já fizeram comigo e eu com os outros (ainda bem que sempre dá tempo de mudar, não é? hehe).

    A leitura é sim um meio de nos trazer conhecimento, mas como você disse, não é o único. Eu leio porque é algo que me faz bem, assim como quem assiste novelas o faz porque gosta. Não há segredo, é simplesmente respeitar o outro.

    Eu só discordo de você em um ponto: para mim também não é importante “o que” você lê. Entendi sua opinião, principalmente sobre os temas abusivos, mas em linhas gerais, não é o que penso. Eu já olhei torto pra algumas pessoas que liam livros “bobos” (que era como eu achava na época), mas depois me dei conta de que isso não é importante. Aprendi a enxergar que qualquer obra – não somente os livros -, tem seu valor, alguma coisa que possa ser tirada de lá. Tudo depende do olhar de quem está lendo. Por exemplo, eu não gosto de romances, mas sempre que leio uma resenha, a pessoa captou coisas incríveis da história. Para mim isso é puramente pessoal. Também há casos de pessoas que acham que os clássicos são os únicos que prestam, o resto é lixo (sim, eu já li um comentário exatamente assim). Agora me diz: que mensagem essa pessoa captou dos livros? Ela só lê clássicos, que deveriam ser os melhores, e não respeita os gostos alheios. Isso não faz o menor sentido. Penso que o valor da obra depende mais do leitor do que qualquer outra coisa.

    Escrevi bastante, né? hahah Mas mesmo discordando desse ponto eu amei seu texto e acho que muita gente precisa lê-lo pra abrir os olhos e passar a respeitar o outro do jeito que ele é.

    Beijos! :*

    • Jade Amorim disse:

      Mariana, pelo que a galera comentou por aqui isso é bem “fase” que todo mundo passa viu? Muita gente disse que não só já fez como já passou por isso e hoje até fica meio envergonhado.
      Quanto ao que eu quis dizer sobre “o que você lê”, então, eu acho que aquele trecho ficou meio confuso mesmo, eu não tenho qualquer preconceito com gêneros literários, tem coisa que eu não leria de jeito nenhum, mas aí eu penso que bom, é só eu não ler né? Sou daquela opinião que tenho trabalho demais com a minha própria vida pra ficar dando conta da dos outros. O que eu quis dizer é que muita gente lê umas coisas completamente superficiais mas se acham os melhores do que os que não leem, sendo que não absorveram nada do que leram.
      E eu concordo contigo dessa galera do #teamclassicos, poxa, já que quer dar tanto uma de intelectual, que ande com uma tese de doutorado debaixo do braço ao invés de um livro! rs

      Beijoss 😉

  12. Kelly Mathies disse:

    É estranho quando a gente para pra pensar sobre o assunto, né? A decepção de ver uma mísera caixinha com todos os nossos livros é de cortar o coração, mas depois paramos para ver o quanto isso é bom. Eu não concordo muito com a parte de que a literatura não acrescenta muita coisa, na verdade, penso o contrário. Esses dias terminei a leitura de um livro sobre relacionamentos abusivos e pensei que tinha ficado com um pé atrás, mas depois foi cair a ficha de que as histórias em si não são as culpadas, mas sim nosso olhar sobre elas. Em contrapartida, também concordo com tua posição e entendo. Tem muita coisa negativa dentro do campo literário que nos adoece por dentro. Mas ler não nos torna melhor, isso é um fato. Ninguém é mais ou menos inteligente porque leu Jane Austen. Somos páreos. Post incrível ♥

    • Jade Amorim disse:

      Kelly, eu acho que você não entendeu muito bem, eu nunca disse que a literatura não nos acrescenta nada, apenas que ela é um entretenimento como qualquer outro e que gostar de ler não te torna alguém melhor que não gosta, porque a pessoa pode consumir informação e conteúdo de muitas maneiras. ^^

  13. Outro tipo de elitização que eu fico muito irritada quando vejo acontecendo é a dos clássicos. Tenho um amigo que se acha O hipster, O tal porque lê clássicos e eu fico pensando, ”moço, para que ta feio”.
    Acho que desde que você leia o que te faz bem é super válido, não adianta achar que todo mundo vai gostar de ler Dom Casmurro na adolescência só porque é um livro renomado…
    Beijo!

    Sorriso Espontâneo

    • Jade Amorim disse:

      Betânia, esse é outro caso revoltante pra caramba mesmo. Acho que se essas pessoas fossem tão intelectuais quanto se acham, elas não perderiam tempo massageando o próprio ego né? rs Beijos!

  14. A algum tempo atrás também costumava consumir duzias de livros e me gabar demais sobre isso, lembro de uma prima que leu no máximo 5 livros na vida e de como eu me sentia superior a ela. Hoje, me considerando mais madura pra opinar sobre isso, vejo que muitas pessoas apenas tem gostos diferentes e preferem divertimentos/hobbies diferentes. O último ano do ensino médio e esse meu “ano sabático” tem me mostrado muito mais sobre o mundo e as pessoas, até nessa parte de que ninguém é burro, sendo assim muito menos as pessoas que escolhem não consumir literatura.

    • Jade Amorim disse:

      Ray, pelo o que eu li dos comentários do pessoal, pelo visto todo mundo já teve “essa fase”. Pelo menos com a gente ela passou e agora somos pessoas melhores né? rs ♥

  15. Flavi disse:

    Aiii que lindo texto menina! Como sempre lacrando muito né? Infelizmente o que vemos ai é muita gente se pagando de superior porque lê demais. Acho um porre isso!

    Tá rolando o primeiro sorteio do blog, se quiser participar só clicar aqui!

  16. Maravilhoso esse texto. Realmente nosso ego pode nos trair, e normalmente, o faz. Eu sou sempre a favor da oportunidade. Algumas pessoas nunca se deram a chance de abrir um livro e dizem que não gostam. Outras adorariam assistir documentários, mas não tem acesso. Acredito que o nosso papel é sempre facilitar o acesso do que nos faz bem, entretanto tomando o cuidado de não obrigar ninguém a se parecer conosco. Por esse motivo me tornei fã dos blogs. Ali você encontra reflexões de outras pessoas que tem um gosto parecido com o seu, sem se obrigar a ser como ela.

    • Jade Amorim disse:

      Fernanda, tudo bem? É exatamente isso que você falou, viu? Ao invés de hostilizarmos quem não gosta das mesmas coisas que a gente, temos é que ser legais e tentar atraí-las, mostrar os prós e fazê-las gostar, sem necessariamente forçar ninguém. ♥

  17. Marina disse:

    Penso da mesma forma! Vejo muita gente se achando superior por gostar de ler, como se isso tornasse melhor que os outros. E pior, só lê livros do tipo best-seller, que também é só entretenimento. Mas o pior, pra mim, não são as pessoas que leem Percy Jackson e saem repetindo frases dessas por aí, pior pra mim é quem lê Dostoiévski, Nietzsche e afins e sai por aí pagando de intelectual, se achando superior aos outros. Não importa o que a pessoa lê, ou se lê, fazer ou deixar de fazer uma coisa não torna ninguém melhor que ninguém.

    • Jade Amorim disse:

      Marina, te entendo completamente. De fato essa galera que lê determinados autores são muito arrogantes, né? Sabe o que eu acho? Que se elas fossem tão inteligentes assim elas saberiam que isso não torna ninguém melhor que ninguém, e que é só um livro. 😉

  18. Olá Jade! Adorei seu post.. Me identifiquei em vários aspectos… Acredito que o você disse se aplique pra tudo na vida, nada que alguém faça torna essa pessoa melhor… Acredito que esse ‘mito’ veio porque quem lê mais, geraaaalmente tem consegue interpretar mais textos? É o que eu penso… Não que isso torne alguém melhor, como disse nada torna ngn melhor do que ngn 🙂
    Beijão

    • Jade Amorim disse:

      Steh, com certeza viu? Esse negócio de cair em armadilha do ego é a maior furada. E quanto ao mito, eu já acho que foi por uma questão diferente: Leitura sempre foi um privilégio. Quem tem dinheiro para comprar livro é quem já pertence a uma certa elite que tem dinheiro “sobrando pra gastar com isso”, logo quem compra livros é também quem consegue ter acesso à educação e por consequência disso é uma pessoa mais “educada”. Aí as pessoas relacionaram a esses fatores com quem lê que é melhor que os outros, o que na verdade não tem nada a ver porque literatura é uma questão muito diferente de leitura de estudo. Conheço gente que lê centenas de livros por ano e não conseguiu absorver nada! Esse tipo de segregação acaba é afastando as pessoas desse universo, sabe? Não podemos deixar acontecer! 😉

  19. Muito bom o texto!!! ❤️

  20. Francine disse:

    Que texto lindo! Sei que a sua intenção não foi essa, mas acabou sendo uma consequência. Amo capa de livro, e amo o seu conteúdo ♥ Eu só não leio mais porque…sou preguiçosa hahaha Gosto de ver pessoas que leêm vários livros por ano, mas não, não as considero mais cultas ou intelectuais. Beijinhos :8

    • Jade Amorim disse:

      Fran, isso é super normal! Eu sou a preguiça em pessoa também, tem dia que não consigo ler nada, só quero ficar deitada na cama! hahaha Tem dia que eu leio demais, mas é por amor, não obrigação, e não sou melhor que ninguém por isso. <3

  21. Concordo totalmente com as tuas falas, existem muitas pessoas que acabam rebaixando as outras devido ao que ela lê. O que penso é que o mundo ultimamente anda tão cheio de pessoas vazias que encontrar alguém que leia qualquer tipo de literatura já da vontade de ir correndo abraçar;

  22. Post amor e com palavras bem colocadas <3 Eu não julgo que nem gosta de ler literatura, mas irrita quem não lê regras, informações e fontes. Eu sempre amei literatura, mas não sou fã de notícias (por mais que as leia e até já tenha feito algumas na escola kk). Adorei demais seu post, bem escrito e a leitura fluiu muito bem <3

    • Jade Amorim disse:

      Isa, tudo bem? O negócio aqui é que eu estou realmente falando sobre literatura, que é um nicho de entretenimento. A leitura é claramente fundamental na nossa vida, está em tudo, como tu disse em regras e etc. 🙂

  23. Luana Souza disse:

    Eu sou um ser que tomo muito cuidado com o que lê, sempre procuro algo que tenha conteúdo e com algo que eu possa levar para a vida. Mas também incentivo à leitura ao máximo… eu confesso que não me agrada ouvir de uma pessoa que “ler é perca de tempo”. Não em acho superior a ninguém porque vivo com um livro não mão, afinal eu sei que livros não são a única fonte de conhecimento, mas eu gostaria que as pessoas do nosso país deve abenturassem mais no mundo literário. Meu professor disse que o brasileiro lê, em média, um livro por ano! Acho isso triste demias 🙁

    Seu texto está incrível, com uma opinião formidável <3 parabéns!

    • Jade Amorim disse:

      Luana, eu tenho momentos e momentos sabe? Busco livros que eu gosto de ler para relaxar, passar o tempo, conhecer novas histórias mesmo, também leio para estudar, curiosidades e etc. Acho que cada leitura tem seu momento. O negócio é que exatamente essa visão elitizada e essa hostilização que quem não lê afasta as pessoas da leitura, né? A gente tem é que tentar incentivar o máximo possível! ♥

  24. Sandy Helena disse:

    Manoo que post incrível, Eu super concordo com tudo que você falou.
    conheço várias pessoas super inteligentes mas que detestam ler livros. Meu noivo por exemplo, ele é MUITO inteligente, bem nerd mesmo. adora documentários, gosta de descobrir como as coisas funcionam e eu acho isso demais. somos todos diferentes, mas nenhum melhor que o outro. cada um com seu jeito de aprender as coisas.
    http://www.sandyhelena.com.br

  25. Olá!
    Acredito que o foco aqui é o preconceito. Assim como você, fui uma leitora precoce. Contudo, na minha adolescência era motivo de chacota ser uma leitora, coisa de nerd (quando ser nerd não era motivo de orgulho, mas um motivo de segregação).
    Realmente não entendo o orgulho de ficar postando fotos da estante de livros, já que sempre doei meus livros depois de ler. Tenho a crença de que incentivar as pessoas a ler é o objetivo que todos os leitores deveriam almejar, já que a neurociência provou que ler romances, principalmente os clássicos,, além de aumentar o vocabulário, facilitando a organização do pensamento, também propiciam a empatia, que é a capacidade de uma pessoa se colocar no lugar de outra pessoa.
    P.S: também sou viciada em séries de tv e filmes…. uma paixão não desmerece a outra.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    • Jade Amorim disse:

      Oi Tatiana, tudo bem? Olha, particularmente eu preciso me assumir culpada, porque eu sou colecionadora e enquanto uns colecionam bolitas, ou cartinhas, eu coleciono livros e materiais de papelaria. Mas só aqueles que tem um lugar no meu coração, e meus livros estão sempre sendo emprestados ou trocados no Skoob por exemplo. hahahaha
      Quanto a questão desse estudo de neurociência, eu não conheço ele, mas posso te garantir que tem gente que lê mais de 100 livros por ano por aí que não consegue manter um diálogo decente. hahaha
      Acho que a palavra é a empatia, sabe? Se essas pessoas fossem tão incríveis e superiores como elas se acham, elas tinham que no mínimo serem mais humildes né? XD

  26. Erika Bomfim disse:

    Esse post tem que ser esfregado na cara de muita gente. Ninguém é obrigado a gostar de ler e muitas pessoas leem muitos livros por obrigação e pra melhorar no quesito acadêmico, não por amor a leitura. Incentivar leitura é muito importante sim, ler faz diferença na vida das pessoas, o errado é achar que todo mundo vai gostar de ler.

    • Jade Amorim disse:

      Erika, exatamente! E mais errado ainda é achar que por a pessoa não gosta de ler, ela não é inteligente ou capaz. Cara, meus pais mesmo são pessoas super esclarecidas e não leem nada, tenho um amigo que formou em psicologia recentemente e ele detesta ler, mas gosta muito por exemplo de audiolivros. Isso não torna eles piores ou incapazes né? 🙂

  27. Quantos aplausos esse post merece? Eu diria que muitos! Eu gosto muito de ler, chega a ser um vício, Faço porque me faz bem, porque eu gosto, porque é algo que acrescenta muito na minha vida. Mas sempre me incomodei com pessoas que tentam colocar um pedestal entre quem lê e quem não lê. Acho uma besteira isso. E me incomoda ainda mais ao ver que tem essa mesma “rixa” entre os leitores. Lembro que mencionei uma vez que não via hora de ler o novo livro da Bruna Vieira e acredita que riram de mim? Como se dissessem: eu sou muito mais culto que você, que fica lendo livro de blogueira. Só que tipo, cada um com seus gostos, com seus hobbys, enfim. Eu já perdi a conta de quantos livros de literatura clássica peguei para ler e nem por isso fico me achando superior ao outro que não curte esse tipo de leitura, até porque seria hipocrisia minha. Eu tenho uma gosto por literatura muito variado e não vejo problema nenhum em dizer que sim, ainda gosto de Crepúsculo ahah Mas deu pra entender aonde quero chegar né?

    Beijos, parabéns pelo post!

    • Jade Amorim disse:

      Oi Kimberly! Fico feliz que tenha gostado! ahahah Nossa, quero super te abraçar depois desse seu comentário, de verdade. Isso é muito fato! Quer estudar vai ler uma Tese de doutorado ou artigos acadêmicos, livros são entretenimentos e possuem vários gêneros e nichos, ninguém é melhor que ninguém! ♥

  28. Oi Jade,
    Gostei seu post, sou pessoa não muito de ler os livros.. Já tentar mais vezes ler os livros , ai não consigo.. só gosto de ler menos pagina. Gosta mais de li a revista e noticia.
    Beijos

    • Jade Amorim disse:

      Oi Karol, tudo bem? E não tem problema nenhum com isso, eu conheço gente que detesta ler e é super inteligente e legal, esse tipo de preconceito literário é um saco viu! hahaha

  29. Mandy disse:

    Acho que a leitura é algo importante sim, mas não é por isso que devemos julgar quem não a prática. Não os julgo, porém, sempre incentivo a leitura. Afinal, ela estimula a criatividade e ajuda e muito na escrita, acho que não adianta falar também, como já vi em alguns grupos “isso é preconceito linguístico”, não existe escrita certa ou errada. Ok, mas quando alguém for arrumar um emprego que precisa utilizar um padrão de linguagem denominado formal ou, no meu caso, escrever artigos científicos, vai lá cometer um “erro” de português e falar que na verdade está correto porque não existe erro.

    beijos,
    deloucostodossomosumpouco.blogspot.com.br

    • Jade Amorim disse:

      Mandy, jamais diria que a leitura não é boa, só considero que a literatura não é nada superior. Inclusive, esse tipo de arrogância literária é o que mais afasta possíveis novos leitores. A gente tem é que ser legal, incentivar sabe?
      Contudo concordo que existe sim preconceito linguístico, como eu já escutei uma vez e concordo plenamente: educação é privilégio, não é padrão. Porém, é claro que existem lugares e lugares que precisamos nos atentar as normas cultas da nossa lingua, apesar de que conheço gente que lê 100 livros por ano e não consegue escrever um parágrafo gramaticalmente correto. hehe

  30. Sthephanie Martins disse:

    O seu texto é formidável, eu sempre falado sobre esse ponto de vista, a leitura não te faz melhor ou pior q outra pessoa, eu comecei a ler faz uns 5 anos e eu me encontrei muita dá leitura, mas não é por isso que devo me engrandecer, o certo é aceitar a opinião e o querer das outras pessoas

    • Jade Amorim disse:

      Fico feliz que tenha gostado, Sthephanie! Sabe que essa arrogância faz é afastar novos futuros leitores sabe? A gente tem que é buscar atraí-los, não sair julgando! haha

  31. Lukas Reis disse:

    Nunca vi tantas verdades juntas em um único lugar!
    Sabe uma coisa que me irrita? Pessoas que ficaram se comparando com as outras pelo fato de lerem 60 livros por ano, sério, acho isso horrível. Parece que a pessoa se sente superior só porque consegue ler mais livros que a outra.
    Tem meu apoio em tudo que voce disse!

    • Jade Amorim disse:

      Menino, se não for pra causar eu nem blogo! hahahaha
      Eu odeio isso também, viu? Eu fico olhando pra elas tipo “nossa, podia estar lento o 61 ao invés de ficar falando merda pros outros”. Ler não deveria nunca ter se tornado uma competição!

  32. Joo disse:

    Eu sempre curti muito ler mas de um tempo pra cá eu acabei largando mas quero muito voltar a ler! Mas isso por mim mesmo, porque eu sinto falta..
    Seu texto tá super bacana!

  33. Aline Amorim disse:

    Ótimo texto!
    Eu também lia muito quando criança, hoje não leio tantos livros de histórias como antes. Mas em compensação, tenho que ler muitos artigos e outros livros para a faculdade.
    Beijos

  34. Karol Rabêlo disse:

    Super verdade tudo o que você disse!
    Gostar de ler é um gostar como todos os outros, ninguém é melhor ou pior que isso!
    O mundo tem que parar de usar tudo para diferenciar as pessoas!

    Até mais 🙂
    http://www.deixeapenasfluir.com.br

  35. Nicole (Nica) disse:

    Jade o seu post e daqueles que merece ser lido inúmeras vezes. Fez bem e falou bem também. Eu não sou de ler muito, mas quando começo um livro termino ele rápido. E sempre na minha família me rebaixavam por isso. Eu achava chato mais nada a ver.
    Mandou muito bem no texto.
    Beijos,

    • Jade Amorim disse:

      Oi Nica, tudo bem? Fico muito feliz que tenha gostado do post, de fato ninguém precisa ser julgado por algo assim. Espero te ver de novo por aqui. 😉

  36. carol sena disse:

    eu amo ler, amo ter muitos e muitos livros, mas cada um faz o que gosta, eu amo romances vou sempre ler romances, e ler um romance ou o livro de direito constitucional também não vai fazer um melhor ou pior, acho que toda leitura é valida, ninguém é melhor que ninguém em nada, se ler ou não, nem sobre o que ler ou não.
    beijos

    • Jade Amorim disse:

      Carol, concordo totalmente contigo. Eu mesma detesto romance e jamais encostaria num livro de youtuber, mas quem sou eu na fila do pão para julgar? Se a gente não gosta, é só não fazer! ♥

  37. Oi Jade, eu gostei mt do seu post. E ele me fez pensar sobre mtas coisas que eu mesma pensava um tempo atrás. Eu amo ler, mas isso não quer dizer que meus amigos ou minha família tem que gostar tb, se não, não são normais ou não são dignos de uma boa discussão. Qd na vdd as pessoas me olham do mesmo jeito que olham pra um viciado em séries ou em filmes. E isso a gente não pensa… é só os outros… e a gente, o que as pessoas vêem qd me olham mergulhada em livros?! Seu post me fez refletir um pouco sobre isso de novo. Bjks!
    http://www.mundinhodahanna.blogspot.com

    • Jade Amorim disse:

      Sabe Hannah, lendo e respondendo os comentários aqui eu cheguei a conclusão que a grande maioria já passou por essa fase. Fico feliz de ter te ajudado a promover essa autoreflexão, o importante é a gente ir mudando e melhorando sempre!

  38. Bibelô, você só me enche de orgulho com esses posts maravilhosos, cheios de conteúdo e inspiração ❤️

    Agora, vamos lá! Apesar de não ler tantos livros como eu gostaria sempre senti que existe pessoas que se acham especiais por viverem lendo centenas de livros por ano, mas não, isso não faz de você melhor que ninguém. Eu nem sei mais o que dizer, apenas sentir. Te amo! HAHA

    Beijão, Jade e parabéns pelo post incrível.

  39. Que post incrível! Confesso que nunca tinha parado pra pensar no assunto, mas concordo muito com o que você disse. Afinal, cada um tem vontade e preferencias diferentes e ninguem é mais importante que o outro ou especial por isso.

  40. Muitas pessoas precisam ler esse post. MUITAS.
    Acho que todos os meios que tivermos e pudermos usar para consumir conteúdo e informação são válidos, mas tem pessoas que não entendem isso.
    Tem pessoas que se acham melhores que outras só porque leem, e o pior é quando competem pra ver quem lê mais livros em menos tempo (não sou obrigada)

    • Jade Amorim disse:

      Vitória, eu tenho um amigo formado em psicologia que odeia ler, e ele é uma das pessoas mais inteligentes que eu conheço. Meus pais também não curtem nada ler, mas são bem informados e super inteligentes. Ler não nos torna melhor né? Muito menos literatura! Acho que a gente tem que cuidar mais do nosso mesmo, ficamos bem mais felizes assim! ♥

  41. Nana Araujo disse:

    Isso aí. E o que tá crescendo agora é o que é bom pra ler.
    Sempre e isso é normal (não estou justificando, apenas falando), sempre nos achamos superior por algo que fazemos e outros não. Se a pessoa já faz, no caso da leitura, ler, aí vem as categorias: “ah mas tu só le fantasia, tem que ler os clássicos” como se só por ser classico o livro é bom. Mas agora, é bom pra quem? Outras pessoas decidiram que ele é bom, agora EU vou ter que levar isso pra mim? Não mesmo, vou ler e EU decidir se ele é bom pra mim, pro MEU gosto.

    Tinha e ainda tenho um pouco esse pre conceito em mim, estou melhorando muito hahahahah

    Beijos, até o/

    • Jade Amorim disse:

      Nana, eu li um artigo sobre isso recentemente que fala exatamente das “armadilhas do ego”, esse negócio de querer se valorizar menosprezando os outros hahaha. A melhor parte dessas coisas é ver que precisamos e vamos melhorando com o tempo, certo? ♥

  42. Jully disse:

    Uaau que palavras, que post só li verdades!
    Eu amo ler e nos últimos tempos não tenho tido tempo, mas concordo com você e não acho que a leitura seja um entretenimento superior aos outros.
    Eu amei o post e confesso que fiquei com um ponto de vergonha, na época do ensino médio tinha horror as meninas da sala que não liam e enfiava livro boas mesmo sem elas gostarem tanto de Leitura.

    Enfim amei o post e fiquei encantada com a forma que escreve! Parabéns ♡

    • Jade Amorim disse:

      Jully, quem somos nós pra julgar né? Acho que todo mundo já passou por essa fase e hoje vê como era bobo. Pensa quanto que dá para a gente ler com o tempo que ficamos tendo esses pensamentos? hahaha ♥

  43. Olá!
    Que texto bem escrito, queria começar te parabenizando por isso!
    Concordo totalmente com o que você diz,, vc ta coberta de razão a literatura não é a unica fonte de informação e muito menos de conhecimento! Existem muitas outras!
    Eu amo ler, e achei esse tema muito relevante pois eu conheço pessoas que não só acham que são melhores porque também sao leitoras, mas sim porque elas se classificam melhores por ler determinados autores que são considerados intelectuais ZZZZZ
    A pessoa não ta entendendo nada, mas ta ali com um nietzsche na mão se achando o ultimo oraculo do universo!
    Adorei seu blog, já até curti a page!
    Beijos!

    • Jade Amorim disse:

      Olá Amanda, fico feliz que tenha gostado do blog! Sobre o seu comentário, sabe o que eu acho? Que se essas pessoas que se acham tão superior fossem realmente espertas saberiam que esse tipo de coisa não é tão importante assim. Então né, deixa eles lá com o kafka debaixo do braço se achando superiores enquanto a gente dá risada. u.u

  44. Clayci disse:

    Eu pensei que já tinha comentado nessa publicação, socorroooooo

    Eu adorei a reflexão e ela é super válida.
    Tenho exemplos dentro de casa! Os meus pais não gostam de ler e fico boba com a criatividade deles.

  45. Liz Chollet disse:

    AAHHH que post incrivel, meninaaa! Quando me mudei pra fazer faculdade também me decepcionei com a quantidade de livros que eu tinha, achava que era um monte e…duas caixas haha hoje, não leio quase nada e me sinto mal demais por ter perdido a leitora que vivia dentro de mim, que tambem já foi uma dessas orgulhosas e com ego alto porque lia, até que passei a pensar..poxa, eu só to lendo, sabe? é ótimo, me faz bem, mas eu sou uma pessoa normal e tá tudo ok haha fico bem chateada quando vejo aqueles milahres de posts pelo facebook da galera se achando super superior a quem ve seriados, filmes ou prefere desenhar, sei lá

    • Jade Amorim disse:

      Liz, eu li praticamente nada de literatura durante a minha faculdade, e eu entendo que isso é muito como uma fase mesmo, não precisamos ficar desesperadas. E sim, eu também fui dessas de ego inflado, mas né, melhor ler do que ficar se preocupando com o que os outros leem ou deixam de ler! xD

  46. Oi Jade! Eu também tive épocas que li muito e outras que o meu lado “leitora…” se envergonharia de mim… Normal, assim como você ” …. o meu interesse literário foi de grande influência para a minha formação”. Sou formada em Psicologia e é um curso que tem muitos textos tensos para ler.

    Na adolescencia eu tive a fase “rata de bibiloteca” que eu lia realmente de tudo…. Eu me orgulho! pois, foi lendo livros para a minha faixa-etaria que eu peguei gosto para ler livros com mais de 300 páginas com temas mais “adultos” é necessario um tempo para descobrir que “não importa se você lê, mas o quê você lê.” antes disso, você lê muitos livros com histórias ruins, bobinhas, infantis… Antes de ler aquele livro preferido da vida!

    • Jade Amorim disse:

      Oi Camyli, é bem assim mesmo. É um hábito que a gente cria porque a gente gosta, nos faz bem. Claro que tem livros de estudo, mas na literatura mesmo… porque isso nos tornaria melhores, não é verdade? 🙂

  47. Ana Seerig disse:

    Ótimo, Jade!
    Ontem mesmo estava pensando em como me dá repulsa a palavra “intelectual”. Às vezes me chamam assim e eu nunca gosto. Provavelmente me chamam de intelectual porque eu leio e guardo na memória algumas informações (grande parte inúteis no dia a dia, como tu bem registrou), mas não me orgulho disso – o que não quer dizer que sinto vergonha. Leio porque gosto de ler. Leio o que quero ler. Leio o que me desperta atenção. Não acho que isso me torna melhor do que ninguém. E provavelmente tenho repulsa a palavra “intelectual” justamente porque as pessoas que se definem assim se acham superiores e isso me dá nojo.

    Adoreeei o texto! Só tu pra me fazer dar uma passada na blogosfera pra ler por interesse e não por obrigação social haha

    Beijo!

    • Jade Amorim disse:

      As pessoas possuem uma grande necessidade de autoafirmação, né Ana? Acredito que levantar essas “bandeiras” corroboram com isso. Eu estava conversando com um amigo meu, inclusive acho que anteontem sobre isso. Sobre quem geralmente tem essa necessidade de se autoafirmar como algo é quem menos é o que diz, já que principalmente no caso da “intelectualidade”, quanto mais a gente sabe de verdade mais a gente sabe que não sabe é nada, e por isso essas pessoas verdadeiramente espertas são as mais humildes. Tenho, inclusive, professores assim. Esse ambiente assim como para você, me dá repulsa.

  48. Cara! Vc falou o que eu estava tentando explicar para uma colega um dia desses. Meu marido não é fã de livros, e é uma das pessoas mais inteligentes que conheço.
    E posso citar pessoas que devoram mais e mais livros e não são nem metade do que ele é. Eu mesma me incluo nessa. Principalmente depois que passei a ter um olhar mais crítico sobre o que lia.

    • Jade Amorim disse:

      Então, mas é bem assim mesmo. Essa arrogância, inclusive, acaba é afastando as outras pessoas para iniciar na leitura porque acha que é coisa de gente elitista e esnobe sabe? É super complicado. Cada um feliz na sua e fica tudo lindo!

  49. quando era pequena adorava livros e esperava ansiosamente pelo 5o, 6o e 7o da série harry potter, sou formada em design de moda e estou concluindo jornalismo. continuo amando livros, seja da minha área, ficção científica, russos etc. felizmente não encontrei pessoas que se acham superior por gostar de ler, mas sim quem acha que só pq gosta de determinados gêneros é superior a fulano e sicrano que gostam de outros gêneros, aí fico irritada hahaha acho que toda leitura é valida. às vezes ocorre de algumas pessoas falarem que estou lendo muito blá blá, mas também nunca achei isso “wooow”, apenas algo que gosto muito e que outras pessoas podem gostar de outra coisa, por exemplo, jogos e/ou como você disse, filmes, novelas etc! mas achei interessante o seu ponto de vista!
    beijos :***

    • Jade Amorim disse:

      Menina, tem muito disso também. Quantas vezes vi em grupos de leitura no facebook gente hostilizando livros de youtuber, por exemplo? Acho esses piores do que o que citei no post, porque mostra que mesmo lendo muito, a pessoa não conseguiu aprender absolutamente nada né? :/

  50. Duds disse:

    oi jade! Muito legal a reflexão! Me identifiquei bastante pois comecei a ler bem nova mesmo também. Infelizmente na adolescência não li nada e agora na fase “jovem adulta” estou tentando retomar os hábitos infantis. É um hábito saudável e bom, mas jamais algo que nos faz superior a quem não le. Cada um na sua, mesmo!

    • Jade Amorim disse:

      A literatura, tal qual a outros hábitos como música e etc são apenas hobbies. Não nos tornam melhor que ninguém, não é verdade? Fico feliz que tenha gostado. 🙂

  51. Bruna WB disse:

    O problema todo, na minha opinião, está justamente em atrelar informação e cultura com livros. Eu sou uma pessoa que ama ler literatura, que sai feliz com o kindle por todos os lugares e que tá sempre “fuçando” nas estantes virtuais para ver o que tem de novo por aí. MAS é um hobby. É como quando eu sento e vejo séries ou filmes. Cada uma dessas coisas me fornece basicamente o mesmo tipo de ganho. Bem-estar, tempo comigo mesma, diversão. E, no fim, o que eu acho importante é que as pessoas tenham um ganho do tipo no dia, independente de qual for a origem. Meus pais não são nada fãs de livros (e nunca entenderam minha paixão) e, mesmo assim, são pessoas bastante inteligentes, bem informadas, aptas a entrar em discussões com argumentos fortes e de boa sustentação. Um amigo meu, entretanto, lê em torno de 100 livros por ano, mas peca em em outras questões ao ponto de ser totalmente alienado nelas. É tudo muito relativo, né? E, hoje em dia, é até difícil dizer qualquer coisa sem que alguém se ofenda. Muito legal sua reflexão!

    • Jade Amorim disse:

      Bruna, como vai? É exatamente isso que você tu disse. Não é só livro que traz cultura, MUITO MENOS a literatura. Compreender que é um hobby e que não te torna melhor que ninguém é fundamental. Claro que existem estudos, informações que são compartilhadas em estilo de texto e conteúdo acadêmico, mas não é esse o ponto. Conheço muita gente alienada que lê horrores, e meus pais que não gostam de ler são pessoas bastante inteligentes.
      Fico feliz que tenha gostado do texto! ♥

  52. Divana disse:

    Oi Jade!
    Gostei do seu texto e acredito que ele está certo, só que com um porém para mim (digo porque aconteceu comigo e eu comecei a me assustar um monte).
    Eu cresci lendo muito também, muito mesmo. Lia 2 livros por semana, hahaha, maluquinha que só. Então passei no Ensino Fundamental, fiz meu Médio-Técnico juntos e fui trabalhar por dois anos. Nesse meio tempo de trabalho parei de ler textos compridos, apenas resumo. Isso foi por uns três meses. No fim, eu não estava mais conseguindo escrever um texto decente, com poucos erros de português e por mais que eu tentasse lembrar de sinônimos para umas palavras não vinha nada, entrei em pânico.
    Depois disso, leio sempre que posso, já que estou na faculdade, e não os artigos e livros que os professores pedem, mas livros, jornais e revistas quando dá.
    A falta de ler talvez não influencie na comunicação, na inteligência, mas influencia muito na hora de escrever um texto legal, que precisa de revisões, mas não tantas. Não adianta só saber muitas vezes, saber falar. É necessário saber escrever muita coisa, e nisso a leitura ajuda muito.
    É isso, hahaha. Desculpe pelo testamento.
    Abraços!

    • Jade Amorim disse:

      Oi Divana, tudo bem? Eu concordo com você, mas eu devo assinalar que eu não falei sobre isso no meu post. Eu falei sobre literatura, histórias mesmo, um Harry Potter da vida, um romance de cá e etc. Assim com você eu defendo muito a leitura para se poder escrever, ajuda muito no vocabulário, porém ler literatura é um entretenimento, assim como assistir filmes, séries ou até mesmo novela.
      Devemos considerar também que existem pessoas que não tem a inteligência voltada para a escrita e a leitura, eu mesma conheço muita gente (e devo dizer que a maioria estudou comigo) que lê muito mais livros que eu e tem um estilo de escrita péssimo! Nossa, quanto trabalho de faculdade eu não tive que reescrever porque estava horrivelmente escrito.
      É algo muito relativo. E um debate inclusive muito válido. Contudo não mencionei esse aspecto no post porque cá entre nós, ele já estava enorme! hahaha

  53. Ana Camina disse:

    Comigo foi semelhante ao que aconteceu com vc, li desde criança e me achava muito especialzinha pq as pessoas comentavam que era bonitinho eu gostar de ler tudo.
    E na verdade não tem nada de especial nisso. rs
    Continuo achando os livros muito importantes pra minha formação e amo gostar de ler, mas pra isso não preciso julgar quem não lê ou gosta de livros diferentes de mim. Cada um na sua.

    :*

    • Jade Amorim disse:

      Ana, o importante é exatamente eliminarmos essa arrogância literária, sabe? São fundamentais para a nossa formação, mas literatura é uma forma de entretenimento. Claro que existem livros de estudo e etc, que são fundamentais para o conhecimento, mas o negócio são as pessoas que leem literatura e se acham melhor de quem vê séries ou gosta de novela. Aí não dá né? rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *