Não romantize suas imperfeições

Você não é perfeito. Você nunca vai ser perfeito, e quanto mais você tentar se convencer do contrário mais falho será.

Ouvir isso dói, né? Machuca o ego.

Quem é essa que está dizendo que eu nunca vou ser perfeito? Quem ela pensa que é? É claro que sou. Eu tenho que ser.

Mas você não tem. E é impressionante como esse momento no qual nos encontramos na sociedade, na era das selfies, de uma vida exposta nas redes sociais onde não basta ser se não for visto, as pessoas reforçaram muito mais a negação de que possuem qualquer defeito.

A negação da própria imperfeição nos faz cair numa série de vícios sociais. Se algo dá errado, a responsabilidade é sempre de um terceiro. Se você faz algo errado, na verdade o que te motivou era uma intenção altruísta. Todos os subterfúgios possíveis para não assumir a responsabilidade pelos próprios atos são acionados. A religião tá aí pra nos provar isso desde o começo da raça humana.

Contudo, essa romantização das próprias falhas de caráter caem num círculo vicioso difícil de sair. Enquanto o problema não é identificado, jamais será solucionado. E enquanto você vai adorar apontar o dedo para falar do “defeito” dos outros, estará sentado no próprio rabo sem enxergar os próprios.

Essa hipocrisia me enoja.

Acredito que cada um possa ser o que quiser. Não me importa se você seja uma pessoa meio maldosa, mesquinha, egoísta, ou qualquer adjetivo que queira desde que assuma quem você é. Não tem nada que me enche mais de ódio do que ver alguém agindo de um jeito enquanto diz ser completamente de outro.

Ser honesto com os outros e consigo mesmo é a maior qualidade que um ser humano pode ter. Enxergar e aceitar a existência dos próprios defeitos funciona quase que medicinalmente. Você se torna inatingível, de certa forma.

É que, entenda, não tem maneira mais brutal de ofender alguém que com a verdade. A verdade não é refutável. É incrível ver como alguém, ao se deparar com a verdade sobre os próprios atos, perde o controle. A pessoa começa a gritar, a xingar, algumas ficam até mesmo agressivas.

Manter uma farsa sobre si mesmo é algo tão frágil, que uma simples frase de uma outra pessoa pode te tirar do eixo. Quando alguém tenta te ofender com uma mentira, você dá risada do absurdo da situação. Quando lá no fundo você sabe que ela está certa, como você será capaz de lidar? Você condicionou sua existência na negação da sua imperfeição, e agora tem que ali, no calor de um debate, encará-lo.

Negar suas imperfeições te tornam fraco.

Se você tem plena consciência de todos os seus defeitos e onde pretende mudá-los, quando for obrigado a encará-los, eles não vão te atingir. Se conhecer e se aceitar é o primeiro passo para mudanças.


Gosta de jogos? Estou sorteando uma cópia da edição definitiva do jogo Ori and the Blind Florest.
Related Posts

16 Discussion to this post

  1. Liz Chollet disse:

    ah, que texto! sempre me surpreendo com a tua facilidade e habilidade em escrever sobre esses senitmentos tao profundos e que moram aqui em mim também. Negar nossos defeitos é dar um tiro em nós mesmos, certo? Infelizmente, faço muito isso ainda e talvez (e provavelmente) por isso tenha sido cada vez mais dificil alcançar o tao sonhado primeiro degrau do amor próprio

    • Jade Amorim disse:

      Não é facilidade não, Liz, muito pelo contrário. Geralmente esses textos são textos que nunca estão no meu cronograma, mas que quando algo que desencadeia eles acontece eu escrevo ali no calor do momento, aí deixo ele descansar um pouco, vou ler de novo, mudo um monte de coisa e etc.
      Mas de fato, aprender a enxergar os próprios defeitos não é sinal de fraqueza, é de força. Defeito todo mundo tem, só melhora aqueles que sabem que precisam melhorar. 😀

  2. Flavi disse:

    Ah e aproveitando, adorei esse tipo de campo de comentario, poderia me falar como que posso adotá-lo no meu blog?

  3. Flavi disse:

    Ah como eu tava precisando de ler uma coisa dessas…. =/
    Memórias de uma Guerreira

  4. Um trecho que define exatamente o que eu penso: “Acredito que cada um possa ser o que quiser. Não me importa se você seja uma pessoa meio maldosa, mesquinha, egoísta, ou qualquer adjetivo que queira desde que assuma quem você é. Não tem nada que me enche mais de ódio do que ver alguém agindo de um jeito enquanto diz ser completamente de outro.”. Você escreve muito bem, concordei do início ao fim kkk Me irrita muito ficar romantizando os defeitos do companheiro/a, as pessoas não são perfeitas.

    • Jade Amorim disse:

      Isa, muito obrigada pelo elogio, fico feliz em saber que tem mais gente por aí que compartilha do mesmo sentimento que eu em relação a defeitos e ser quem somos. Não romantizemos os defeitos de ninguém! Não vou dizer que é fácil, às vezes tenho até que me policiar, mas aos poucos vamos tomando controle e conseguindo impedir que isso aconteça. 🙂

  5. Divana disse:

    Nós não podemos virar as costas para aquilo que a gente precisa arrumar em nós.
    Eu, por natureza, gosto de cuidar das pessoas, das coisas. Sempre tive a necessidade de ajudar de alguma forma, o que me faz mais ligada nos problemas de todo mundo… Mas sabe, nós temos as nossas imperfeições e, por mais que sejam “ruins”, ajudam a nos definir. E é por isso que eu gosto tanto delas!
    Ótimo texto Jade!!!

    • Jade Amorim disse:

      Acho que você não podia ter dito melhor, Divana. Realmente não devemos ignorar nossos defeitos, e apesar de sim termos que trabalhar neles para sermos pessoas melhores, temos que aceitá-los e assumi-los. Ninguém é perfeito, eu mesma quando vejo alguém bancando o perfeitinho já fico até desconfiada e mantenho distância, porque sei que essa pessoa está mentindo em alguma coisa! rs
      Fico feliz que tenha gostado do texto, espero te ver mais por aqui. ♥

  6. Nossa, super concordo! Eu aprendi a gostar das minhas imperfeições, ok que não é 100%, mas antes eu tinha ódio das minhas imperfeições, hoje em dia eu me lido muito melhor com cada defeitinho, sabe? Porque eles fazem parte de mim, é o que eu sou, não tenho o que esconder. Adorei demais esse seu post também ein!

    Beijos!

    • Jade Amorim disse:

      Thami, nem é tanto “gostar” delas, mas assumir que elas existem sabe? Só de não as escondermos e aceitarmos que não somos perfeitos e assumirmos que estamos trabalhando sempre para nos tornar pessoas melhores já vale todo o esforço! ♥ Fico feliz que tenha gostado do post, se te fez refletir atingi meu objetivo! 😀

  7. Kaila Garcia disse:

    Amei demais sua reflexão, concordo demais com seu pensamento. Ninguém é perfeito, ninguém tem apenas qualidades, não podemos viver no continho de fada! Um super beijo, Blog Minuto de Bobeira

    • Jade Amorim disse:

      Exatamente Kaila! Nada de querer se iludir e se enganar! Assumir a existência dos próprios defeitos é o primeiro passo para se transformar em uma pessoa melhor! ♥

  8. Carol Justo disse:

    Adorei o post com todas minhas forças.
    As pessoas (vulgo: eu) tem a mania de comparar a vida real com a vida que fulaninho compartilha nas redes sociais. Não sei nem dizer como seu texto é lindo e fala por si só, parabéns pela escrita.

    http://www.pinkisnotrose.com

    • Jade Amorim disse:

      Carol, fico muito feliz em saber que gostou do post. Sei como é difícil se livrar desses hábitos, mas só de temos consciência dele já ajuda bastante. Beijos. ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *