Raposa Crítica
Freebie Banco de Ideias
Resenhas
TOP COMENTARISTA SETEMBRO

Notas do Cotidiano: A Leitora

Já sai sem muita coisa comigo, menos sem um livro. Sempre há um livro debaixo do braço. Ficção, romance, fantasia, horror, aventuras ou científicos movidos à pura curiosidade.

Cada pequeno traço, raciocínio e gesto é reflexo do que um dia foi absorvido de um pouco de tinta num pedaço de papel.

Nunca quis protagonizar nada no mundo, ter uma perspectiva apenas como referência não agrada. Prefiro enxergar o panorama inteiro, estar ali, afastada e invisível, uma eterna espectadora de histórias e conhecimentos de milhares de vidas que jamais conseguirei viver em sua totalidade.

As palavras estão sempre apertadas no peito. O que aperta meu o peito é mais fácil de ser escrito do que dito.

Conheça essa e outras fotografias no meu instagram!

Com as palavras, as milhares delas, há conforto e compreensão. Elas têm um significado simples e claro, que vez ou outra nos remete à sua subjetividade. Olhe com mais atenção, repita suas musicalidades e ritmos em voz alta, você consegue sentir tudo que está ali?

Há toda uma gama de sensações. As palavras têm cores, têm cheiros, têm o eco da alma de quem a escreveu associado ao seu sentimento e compreensão do que está ali exposto.

As palavras também possuem uma vantagem inigualável do mundo real: você sempre pode fechar o livro quando aquilo se torna demais para suportar no momento.

As palavras respeitam o seu ritmo. O mundo não.

O rosto nem sempre vai estar maquiado, a alimentação nem sempre é saudável, a roupa dificilmente vai estar asseada todas as manhãs, mas as páginas de um livro sempre estarão te oferecendo o que você quer ler.

Existe um livro para cada momento da sua vida. Você só precisa encontrá-lo. Zafón (A Sombra do Vento, 2007, p. 11) disse uma vez que poucas coisas marcam tanto um leitor quanto o primeiro livro que abre caminho ao seu coração. E a cada obra adicionada ao repertório, esse caminho só faz é se alargar.

A partir daí, não há para onde voltar e nem porquê desejá-lo.

Cada livro guarda um pequeno universo da qual mergulho todo momento possível. Numa tarde chuvosa com um copo de chá, quando a vida real parece demais para ser encarada e um escapismo se faz necessário, na espera entediante no ponto do transporte público… Cada segundo preenchido com uma história.

Pra quê ser um se você pode ser milhões? Porque estar na sua cidade se você pode viajar por todo o mundo e em qualquer mundo?

Você precisa só abrir uma capa e o coração.

O carinho construído pelas obras tornam a estante seu pequeno santuário. Não há espaço para preconceitos no amor à leitura, porque cada história te traz algo que pode ser acrescentado à vida.

Não há um padrão na estante, não há um único tipo de título. Todos têm seu momento, todos têm seu espaço. As histórias ali contidas possuem desde fadas à demônios  e romances melosos. Há a comédia também. Alguns têm desenhos, outros têm gráficos, a maioria é apenas um grande amontoado de letras para os que pouco se comovem por este universo.

Das crises existenciais do Linus em Peanuts ao mundo distópico com monstros que surgem de lugares inexplicáveis nas histórias de Neil Gaiman, todos são eu. Todos fazem parte de mim, tudo completa quem eu sou.

Se abrir à mundos de palavras te tiram a permissão de ser apenas um, e te transformam num grande amontoado do que você já foi.

A perspectiva de encontrar uma nova obra, entrar numa livraria para sentir os cheiros de páginas e universos desconhecidos trazem a excitação de todas as promessas do que você pode ser e ainda será.

De repente, você descobre que quer também mostrar pro mundo essas palavras, suas belezas e seus ensinamentos. Você nota que pode trazer para a vida real todo aquele universo.

Escreva.

Escreva com palavras, com imagens. Não importa.

Conte uma história.

Livros estão cheios de histórias que você ama, eles nunca se calam. Conte uma história também. Imortalize-se num pedaço de papel que provavelmente viverá mais do que você.

Se você ama tantos seres que não existem, isso significa que você pode ser amada também. Faça alguém se apaixonar pelas suas palavras. Faça eu me apaixonar pelas suas palavras.


Crônica originalmente escrita para apresentar junto com o projeto fotográfico cujo o tema era: Notas do Cotidiano, o que te constitui como indivíduo no mundo?, onde todas as fotos eram para ser tiradas com o celular buscando retratar uma narrativa fotográfica. Claramente, como é minha maior paixão, o tema escolhido foram os livros. Espero que tenham gostado. 🙂
A mente humana em 'O Sorriso da Hiena'
Eis o famoso pampa d'A Casa das Sete Mulheres
[ Book Haul ] Sobre como eu perdi completamente o controle em agosto

52 comentários
  • Jeniffer

    Que lindo trabalho, Jade! Muito significativo para todos nós, amantes dos livros. Você definiu bem os sentimentos e a sensação de quem ama ler, ama leitura, se utiliza dela mais do que uma forma de entretenimento <3

    Beijos

    Responder
    • Jade Amorim

      Jenniffer, muito obrigada pelo elogio! Era realmente esse o grande objetivo ao escrever esse texto, e fico feliz em saber que consegui ele. ♥

      Responder
  • Amanda Oliveira

    Que lindo texto, bastante sincero e encantador. Amei cada palavra. Parabéns flor, compartilhe mais posts assim. Bjooos!

    Responder
    • Jade Amorim

      Fico feliz que tenha gostado, Amanda! Pode deixar que tentarei trazer mais textos do tipo. ♥

      Responder
  • Bruna Morgan

    Obrigada por citar A Sombra do Vento, esse livro é mágico e foi o primeiro que li do Zafon!
    Também sinto esse amor todo pelos livros, eles estão comigo desde que me lembro por gente huahua

    Responder
    • Jade Amorim

      Ele é meu livro favorito, Bruna! Fico feliz que tenha gostado.

      Responder
  • Milena Tiana

    Esse texto me levou para a 6 série, quando eu li pela primeira vez um livro que cativou meu coração. O livro responsável por eu ter me tornado a louca que vivia na biblioteca da escola escolhendo um romance novo, a que deixava de dormir pra estar com aquele amontoado de folhas!!
    E esse texto transbordou tanto amor, achei lindo demais!
    Um beijo!

    Responder
    • Jade Amorim

      Milena, fico muito feliz que você tenha gostado! Realmente sempre tem um livro que abre caminho pro nosso coração, né? rs

      Responder
  • RAQUEL

    "As palavras têm cores, têm cheiros."
    "Conte uma história também."
    Lindo texto. Lindo conselho. Ótima reflexão.

    Responder
    • Jade Amorim

      Fico feliz que tenha gostado. 🙂

      Responder
  • Mari

    Que texto lindo, Jade! Amei! O livro é sempre um refúgio, pelo menos para mim. Falta de criatividade, tédio, tristeza, felicidade.. todos os momento. E também, quando não tem ninguém pra me ouvir, eu imagino histórias e começo a escreve-las! Ler deveria ser uma das 7 maravilhas do mundo, haha! Cada história maravilhosa, que ás vezes, até muda o nosso ponto de vista. Amei esse texto! Parabéns pela escrita!

    Responder
    • Jade Amorim

      Sim, Mari. Livros também são um enorme refúgio para mim. Tanto para colocar pra dentro quanto colocar pra fora! Fico feliz que tenha gostado. 🙂

      Responder
  • Viviane Oliveira

    Jade, que projeto fantástico! ❤
    Eu já tinha visto uma dessas fotos e tinha achado um máximo, mas não sabia que fazia parte de um projeto. QUE TEXTO LACRE, SOCORRO! Meus parabéns, amor.

    Beijão, babe ✨

    Responder
    • Jade Amorim

      Vivi, que bom que gostou! ♥

      Responder
  • Tatiane


    Olá Jade ♥
    Que Crônica maravilhosaaaa ♥♥♥
    Confesso que terminei de ler com lágrimas nos olhos, nossa nem sei o que dizer.
    Só consigo sentir 🙂
    Parabéns, você definiu bem um leitor e eu amei ♥
    ótima terça
    bjo

    Responder
    • Jade Amorim

      Fico feliz que tenha gostado Tati! Muito obrigada!

      Responder
  • Ana Letícia

    Parabéns pelo texto! Você conseguiu expressar de uma forma bela o que o escritores e leitores sentem ao ler um livro. Ao ler um livro me sinto totalmente dentro da história como se fosse um dos personagens e prefiro ler livros sem gravuras, assim consigo usar melhor a imaginação!

    http://blogquinzeprasnove.blogspot.com.br/

    Responder
    • Jade Amorim

      Ana, eu leio de tudo, com gravura ou sem! Amo poder me perder nas histórias! 😀

      Responder
  • Clara Pamponet

    Também não saio sem um livro na bolsa heheheheh! Mesmo que eu não tenha como ler o livro tá comigo! Adorei esse teu post!

    Responder
    • Jade Amorim

      Clara, sou igualzinha! Pelo menos ele tá sempre lá! ♥

      Responder
  • Mari Dahrug

    Eu amo ler, acho que com a leitura a gente viaja, imagina, sonha, cria… uma das melhores coisas da vida!! Ótimo texto!

    Beijos
    Mari Dahrug
    https://www.rabiskos.com.br

    Responder
    • Jade Amorim

      Que bom que gostou, Mari! Realmente, ler é maravilhoso!

      Responder
  • Laís

    Eu amo ler. Acho que eles nos fazem pensar sobre muita coisa na vida.

    Responder
    • Jade Amorim

      É maravilhoso mesmo, Laís!

      Responder
  • Karol Clorado

    Olá,
    Nossa, que pelo texto, quem ama muito os livros,
    eu preciso de voltar de ler, ficou muito legal o blog.
    Beijos

    Responder
    • Jade Amorim

      Que bom que gostou, Karol! 🙂

      Responder
  • Simone Benvindo

    Amei o texto, adoro ler e escrever então, nem se fala. Desde pequena minha maior paixão foi transcrever em versos o que eu guardava no coração.

    Responder
    • Jade Amorim

      Fico feliz que tenha gostado, Simone! 😀

      Responder
  • Betânia Duarte

    "As palavras respeitam o seu ritmo. O mundo não." Wow. Adorei essa citação. Talvez porque seja a mais pura e sincera verdade. Ler é de certa forma um refúgio. Um momento em que podemos esquecer de nossos problemas e focar em histórias de outros personagens, enfrentando outras situações, que fazem as nossas parecer pequenas.
    Adorei seu post, beijo!

    Sorriso Espontâneo

    Responder
    • Jade Amorim

      Betânia, ler pra mim é um grande escape. Fico feliz que tenha gostado! Beijos.

      Responder
  • Clayci

    E não é que esse texto me deixou animada?
    Amei Jade..
    Eu saio sempre com um livro e gosto de ter um e cada fase da minha vida ..

    Responder
    • Jade Amorim

      Livros são fundamentais mesmo. Fico feliz que tenha gostado. 🙂

      Responder
  • Gabi Gouveia

    Amei o texto e para mim caiu como um puxão de orelha…eu AMO LER e desde ano passado com o tcc não li praticamente nada (só UM LIVRO até agora)… ler é maravilhoso, eu também sempre carreguei os livros comigo e pra mim é um prazer incrível poder ler.

    Beijos, Gabi.

    Responder
    • Jade Amorim

      Gabi, super te entendo, eu li tanto pro meu TCC que no período não consegui ler nenhum livro. Depois que passou estou tirando o atraso! ♥

      Responder
  • Ingrid

    Eu amo livros que eu possa levar a imaginação, amo ler, isso faz bem para memória e criarmos cenários, figurinos.. Quando eu gosto de um livro acabo em dois ou três dias.. rs
    Eu amo livros de romance, são os que mais me prende e os que me cativa.

    Responder
    • Jade Amorim

      Ingrid, tem livros realmente que não conseguimos largar de tão bons né? ♥

      Responder
  • Shanna Estiene

    Realmente os livros te levam a lugares que nunca podemos imaginar, nos apresenta a pessoas que nos fascinam ou nos fazem querer ficar muito longe…
    Amei seu texto e me identifiquei super… Realmente amor aos livros é algo de outro mundo… bjs

    Responder
    • Jade Amorim

      Shanna, fico feliz que tenha gostado do texto. Livros são meu escape do mundo! ♥

      Responder
  • Carolina Monteiro

    Me identifiquei bastante com o texto. Acho que todos que amam livros, assim como nós, podem dizer isso, não é? Eu também sempre saio de casa com um livro na bolsa. Leio no ônibus, na faculdade e onde mais puder. Seu texto representou bem tudo o que eu sinto em relação a leitura. Eu adorei! Parabéns. <3
    http://www.brincandodeolivia.com

    Responder
    • Jade Amorim

      Carol, fico feliz que tenha se identificado! É realmente um grande amor que sentimos pelos nossos livrinhos né? Beijos

      Responder
  • Luana Souza

    Como eu me identifiquei com você, fofinha. Eu também nunca saio de casa sem um livro, em especial sempre carrego comigo uma edição pequenininha de Alice no País das maravilhas , que é meu xodózinho. Como você disse, cada livro é um universo, e o Páis das Maravilhas é um dos meus mundos alternativos… o melhor de todos! Os livros são um escape da realidade chata pra mim, assim como tenho certeza que são para a maioria das pessoas!

    Oh, e parabéns pelo texto *-* está lindo!

    Responder
    • Jade Amorim

      Luana, fico feliz que tenha se identificado! Eu tenho esse sentimento em relação a A Sombra do Vento, que é meu livro amor e que eu releio sempre que eu posso, porque amo demais. Realmente, livros nos tiram desse mundo chato que vivemos pelo menos por algumas horas né?

      Responder
  • Aline

    Jade, gostei muito do seu texto! Também posso me definir pela minha paixão pela leitura embora hoje em dia eu leia beeeem menos do que no passado, ainda assim posso dizer que amadureci como leitora e que a quantidade não pode nos definir nesse assunto…

    Muito interessante seu comentário sobre o poder das palavras. Eu resgatei um texto sobre isso de um antigo blog e estou revisando-o para postar espero que em breve e ele fala exatamente sobre a forma que as palavras possuem.

    Me identifiquei muito mesmo com seu texto, parabéns!

    Agora vou fazer uma observação e não sei se é um problema no meu computador, mas todos os títulos (dos posts e seções) e até mesmo a explicação que você deu para o texto (acredito que num quote) no final aparecem cortadas pela metade para mim… Não sei se para as outras pessoas está normal, mas achei válido comentar… No Mais, sua escrita é excelente e seu blog muito interessante!

    Um beijo,
    Aline

    http://www.inventandoassunto.com

    Responder
    • Jade Amorim

      Aline, fico feliz que tenha gostado. Acredito que a gente tem fases sabe? Tem épocas que eu devoro livros indiscriminadamente, tem épocas que leio quase nada. Espero que tenha postado esse texto que está revisando, adoraria lê-lo, adoro falar e ler sobre isso. Sobre o bug do blog, que estranho, nunca ninguém falou nada e eu nunca notei. Vou dar uma checada, muito obrigada por ter avisado! ♥

      Responder
  • Wes Buuh

    Belo texto, muito bem escrito e totalmente próprio. Belo blog, realmente algo pra me inspirar. Tá na minha lista de leitura, virei fã. 🙂

    Responder
    • Jade Amorim

      Fico feliz que tenha gostado, Wes. Seja bem vindo! 😀

      Responder
  • milca abreu

    olá!! adorei o texto e me identifiquei muito. são várias as coisas sem as quais não vivo sem, mas sem duvida, livro está no topo. posso esquecer de levar muitas coisas comigo, mas um bom livro sempre estará lá!

    Responder
    • Jade Amorim

      Milca, compreendo totalmente! Livro é um item fixo da minha bolsa! rs

      Responder
  • Erika Monteiro

    Oi Jade, tudo bem? Acredito que seja a primeira vez que visito seu blog e posso dizer que fiquei incrivelmente sem palavras diante de um texto tão bem escrito. Desde pequena minha mãe comprava livros e nos dava de presente e eu tinha uma mini estante onde colocava todos. A partir dos 12 anos fiz minha carteirinha na biblioteca e escolhia meus próprios livros. Nunca precisei de um lugar específico para ler, acredito que quando mergulhamos na história o mundo exterior deixa de existir por um momento. Essa é a maior beleza de um livro, nos levar a diversos mundo sem nos tirar da cadeira. Isso preenche nossa alma. Parabéns novamente pelo post. Beijos, Érika ^.^

    Responder
    • Jade Amorim

      Erika, primeiramente seja bem vinda! Em segundo lugar, fico muito feliz que tenha gostado do texto. Apesar de não ter tido tanto apoio familiar, entendo totalmente o que tu disse sobre o amor a leitura. Quantas vezes quase perdi o ponto de ônibus porque sai de "órbita". haha

      Responder
  • Carolina Costa Meulam

    Oi Jade! Fiquei boquiaberta com o seu texto! Ele traduziu tudo o que eu sinto em relação a leitura e porque amo escrever. Quando mais nova eu admito que lia mais, muito mais. Devorava livros em questão de horas ou dias. Hoje a minha leitura é mais lenta, mas ainda quero voltar ao ritmo de antes. Ouvi uma vez que livros não precisam ser intocáveis, tratados como reis no alto da estante. Livros precisam ser amassados, por acidente, enquanto levamos na bolsa para todo canto. E é exatamente isso que fala no seu texto. Eu sempre levo um livro para onde vou, mesmo que leia pouco. Eu me sinto mais segura, de alguma forma, ao saber que ele está ali. Parabéns pelo texto, vou compartilhar o seu link na página do meu blog!
    Beijos

    Responder
    • Jade Amorim

      Carol, fico feliz que tenha gostado! Eu concordo contigo sobre não tratar livros como coisas de rei, os meus, apesar de eu cuidar bastante, na hora de ler eles são lidos. As vezes até respinga café, amassa umas pontas de página… acontece né? Isso significa que ele viveu com a gente! ♥

      Responder

Receba as novidades: