Raposa Crítica
Freebie Banco de Ideias
Resenhas
TOP COMENTARISTA SETEMBRO

Ori and the Blind Florest e sua narrativa mágica

Com uma trilha sonora emocionante, história envolvente e animação 2D de encher os olhos, Ori and the Blind Florest esconde um jogo de plataforma de dificuldade mais que considerável.

Com forte influência do estilo de jogo metroidvania, você será submergido por horas antes de perceber. Com um único mapa cuja as áreas do mundo são desbloqueadas conforme a história evolui e vai ter tempo pra chorar, se emocionar e quebrar a cabeça.

 A história é centrada no personagem Ori, um jovem órfão morador do mundo de Nibel, que após uma grande catástrofe, descobre que ele é o único capaz de restaurar seu mundo. E foi essa narrativa que fez a novata Moon Studios conquistar os jogadores da plataforma Xbox e Steam.

O que mais me impressiona em Ori and the Blind Florest, com certeza é a delicadeza e fluidez da sua engine. A interação da personagem com o cenário, o balanço de um tronco, o movimento da água, tudo é muito preciso. Tão preciso que, se você não for preciso também, você está morto.

Ori and the Blind Florest gameplay screenshot

Ori and the Blind Florest gameplay screenshot

Neste game você nunca vai sentir que os comandos ou o jogo estão jogando contra você. Não é necessário, as armadilhas de Nibel são mortíferas por si só. São tão mortíferas que o jogo tem um próprio contador de mortes, e para os players é uma competição ver quem morre menos.

Mas você vai morrer muito, porque Ori é aquele tipo de jogo que você só passa com tentativa e erro, e você precisa estar atento com os saves, pois neste game quem decide quando e onde eles acontecem é o próprio player.  Além disso, o game também possui um sistema de habilidades. Um salto triplo, quebrar paredes, atrair essência, você tem liberdade para montar a de sua preferência com base no que acredita ser o mais importante para seu gameplay.

post-4 post-6 post-3 post-5

 

 

 

 

 

 

 

 

Lançado em março de 2015, Ori and the Blind Florest coleciona diversos prêmios. Isso inclui 5 categorias de melhor game da E3 de 2014, pelo IGN, CVG, GameSoul, GamersPack e LevelUp. E você pode escutar a soundtrack do jogo aqui:

A mente humana em 'O Sorriso da Hiena'
Eis o famoso pampa d'A Casa das Sete Mulheres
'Meu amigo Dahmer' e como a negligência social colabora no desenvolvimento de monstros

8 comentários
  • Flavi – Memórias de uma Guerreira

    Tô pra zerar esse jogo, depois de anos, de perdas de saves, de problemas no pc e tudo mais!
    Mas agora vai!
    Só de lembrar da trilha me dá vontade de chorar, éum jogo lindo!

    Responder
    • Jade Amorim

      Perder save de joguinho dá uma tristeza no coração enoooorme! Espero que consiga zerá-lo em breve. ♥

      Responder
  • Viviane Oliveira

    Jade, sua linda! ❤

    Se eu te falar que não sou muito fã de games você acredita em mim?
    Mas você me conquistou quando disse que o jogo tem uma trilha sonora emocionante. Fiquei interessada, viu?

    Beijão, babelinda.
    Adorei o post como sempre!

    Responder
    • Jade Amorim

      Tem gente que simplesmente não combina com o universo dos game, é totalmente compreensivo! Eu jogo muito pela história, acho lindo! Fico feliz que tenha gostado. 😀

      Responder
  • Gabi

    Eu jurei que era um filme, hehe! Que cenário lindo, que história bonita. Acho que daria um bom filme também *-* Mas fiquei com tanta peninha quando o maiorzinho morreu. Que dó, gente!
    Beijos.

    Responder
    • Jade Amorim

      Daria um ótimo filme de animação né? Nunca tinha pensado nisso, mas super concordo contigo. Nossa, nessa cena, com a história inteira eu chorei tanto. 🙁

      Responder
  • carolina Nascimento

    Aiii esse game parece muito bom, que cenário mais lindo desse jogo!
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    Responder
    • Jade Amorim

      O cenário é maravilhoso mesmo, o pessoal que o desenvolveu foi muito dedicado. 🙂

      Responder

Receba as novidades: