Raposa Crítica
Sorteio Harry potter 20 anos especial grifinória
FREEBIES
Guias TERA Online

A libertação das lagostas em "Inventei você?"

Esse é um daqueles livros que a paixão veio primeiro pela capa, depois pela sinopse. Inventei você? é uma daquelas obras de Young Adult que fala de um monte de coisas e ao mesmo tempo te deixa leve.

Como eu já comentei antes, maio foi um mês difícil para as minhas leituras. Logo depois de ler O Segredo de Heap House e adorado, os outros livros que eu já estava lendo foram se arrastando. Novamente, peguei outra obra para ler antes de concluir as anteriores, e dessa vez foi Inventei Você?.

E não deu para parar!

Quando eu digo isso pareço estar brincando, mas é sério. Esse livro me deixou sem dormir e ir pro trabalho no dia seguinte parecendo um zumbi.

E não é nem porque ele tem algo excepcional. Ele tem uma premissa bastante inteligente, apesar de meio superficial, mas nossa eu estava precisando tanto ler algo leve!

Em Inventei você? a nossa protagonista é Alex, é uma jovem que sofre de esquizofrenia e vive uma luta diária para descobrir o que é realidade ou invenção. Determinada a não ser louca o suficiente para não ser internada no hospital psiquiátrico e conseguir ir à faculdade, ela inicia o último ano do colegial em uma nova escola.

Munida de uma câmera fotográfica, uma Bola 8 Mágica e a irmã, que parece ser sua única aliada, Alex está determinada. Até ela se deparar com Miles, uma espécie de Gênio do Mal da sua turma. E o problema é que talvez, mas só talvez, ele seja um garoto que ela compartilhou uma memória importante da sua infância. E que ela passou os últimos dez anos acreditando ter sido uma alucinação.

Eu não entendia a maior parte do que ele dizia, mas não me importava.
Ele foi o primeiro amigo que eu tive. O primeiro amigo real.

Em clima de guerra, mas com o respeito que só bons rivais sabem ter, a vida de Alex se transforma. Ela faz amigos e tenta viver a típica vida de uma adolescente. Ela só precisa ficar sempre atenta com as peças que sua mente lhe prega, porque não está preparada para ser normal.

A abordagem da esquizofrenia em Inventei você?

Nunca tive contato com tantos livros abordando doenças psicológicas e emocionais que nem nesse último ano. O tema explodiu, pelo menos aqui no Brasil. E eu gosto bastante dessas leituras, mas também fico preocupada.

Em Inventei você? a esquizofrenia de Alex funciona de maneira bastante estranha. É como se ela simplesmente tivesse alucinações aleatórias e consistentes. Não é atoa que ela mantém a câmera fotográfica sempre por perto. Ela usa o aparelho para sempre checar se o que ela viu era real ou não. Às vezes, a própria Alex conta, as alucinações aparecem nas próprias fotos e levam um tempo pra sumir.

Não tenho muito conhecimentos sobre esquizofrenia, talvez eu esteja falando besteira, mas acho que ela não funciona assim. E aí eu li na orelha do livro que a Francesca Zappia o escreveu aos 18 anos, sendo seu romance de estréia, e então fiquei mais preocupada ainda. Busquei no livro inteiro, principalmente nos agradecimentos, alguma nota à instituições especializadas. Nada.

Eu não podia me dar ao luxo de tomar a realidade como algo bem definido. E não diria que odiava as pessoas que podiam, porque, basicamente, eram todas as pessoas. Eu não as odiava. Elas não viviam no meu mundo. Mas isso nunca me impediu de desejar viver no delas.

Muitas pessoas usam os livros como fonte de conhecimento, mesmo que seja romances. Quando você se propõe a escrever sobre algo tão sério como uma doença (mesmo que meio que de forma mais informal) precisa-se tomar cuidado redobrado com a abordagem para que não aconteça de se passar uma informação errada ou distorcida.

É importante que você, como leitor, se lembre sempre de não acreditar piamente no que lê. Muitos autores utilizam a licença poética para adaptar cenários para que a narrativa se encaixe. Então, desde que você leia com essa ressalva, dá para passar tranquilamente por esse ponto.

 

Inventei você? é um romance incrível com uma capa incrível. Um dos livros cedidos pelo @grupoeditorialrecord que eu amei cada página de leitura. 📖 Sinopse: Alex está no último ano do ensino médio e trava uma batalha diária para diferenciar realidade de ilusão. Armada com uma atitude implacável, sua máquina fotográfica, uma Bola 8 Mágica e sua única aliada — a irmã mais nova —, ela declara guerra contra sua esquizofrenia, determinada a permanecer sã o suficiente para entrar na faculdade. E Alex está bem otimista com suas chances, até se deparar com Miles. Será mesmo aquele garoto de olhos azuis com quem ela compartilhou um momento marcante no passado? Mas ele não tinha sido produto da sua imaginação? Confira a resenha no blog, o link tá na bio! 😝 www.jadeamorim.com.br

Uma publicação compartilhada por Jade Amorim (@raposacritica) em


Você tem cheiro de limão

O ponto forte de Inventei você? é definitivamente o romance. É impossível não amar o Miles, não amar Alex e não se divertir com a interação dos dois. O nosso pequeno grande Gênio do Mal inclusive levanta uns questionamentos morais que eu adoro ler sobre.

A narrativa, em primeira pessoa, é extremamente divertida. Como eu disse no começo, você vai passar voando pelo texto e vai se deparar no dilema do "só mais um capítulo…".

A diagramação é muito agradável, os capítulos tem pequenas ilustrações junto do número. As peças de xadrez, a Bola 8 Mágica, uma lagosta… Todos elementos presentes na história de alguma maneira e simbolicamente importante para a protagonista. A capa, como vocês podem ver na foto, é linda demais.


Nome: Inventei você?
Autor: Francesca Zappia
Editora: Verus Editora
Páginas: 346
Goodreads | Skoob

Sinopse: Alex está no último ano do ensino médio e trava uma batalha diária para diferenciar realidade de ilusão. Armada com uma atitude implacável, sua máquina fotográfica, uma Bola 8 Mágica e sua única aliada — a irmã mais nova —, ela declara guerra contra sua esquizofrenia, determinada a permanecer sã o suficiente para entrar na faculdade.
E Alex está bem otimista com suas chances, até se deparar com Miles. Será mesmo aquele garoto de olhos azuis com quem ela compartilhou um momento marcante no passado? Mas ele não tinha sido produto da sua imaginação?
Antes que possa perceber, Alex está fazendo amigos, indo a festas, se apaixonando e experimentando todos os ritos de passagem tipicamente adolescentes. O problema é que ela não está preparada para ser normal.

Bora lá atrás dos "Rastros de Sangue"
A ficção de 'As Primeiras Quinze Vidas de Harry August'
Sorteio Harry Potter e a Pedra Filosofal 20 anos, edição especial Grifinória

5 comentários
  • Nath

    Esse é outro livro que quero muito ler! Parece ser bem interessante!

    Até onde eu sei, a esquizofrenia se 'manifesta' diferente em cada pessoa, e já li sobre casos muito severos e casos mais simples, em que a pessoa consegue ter uma vida bastante normal. Mas acho que em livros essas doenças são retratadas de forma mais dramática, né? Não todos, claro.

    Gostei muito da resenha 🙂

    Beijos

    Responder
  • Dai Castro

    Eu também adorei os segredos de heap house me surpreendeu muito! E também me apaixonei pela capa de inventei você? antes de ler a sinopse haha Achei o livro interessante e divertido, gostei da abordagem sobre a esquizofrenia da Alex , mas também não faço ideia se a abordagem segue algum embasamento científico.

    De qualquer forma, é um livro que me agradou bastante!

    Beijos! ♡
    Colorindo Nuvens

    Responder
  • Michelly Melo

    Oii! 🙂
    Preciso dizer que eu amei a capa desse livro!
    Concordo com você com relação ao que é a esquizofrenia. Conforme eu fui lendo a resenha também me pareceu um pouco diferente do que eu imagina ser essa doença. Ainda não li nada que abordasse uma doença assim, mas acho que seria uma boa leitura! Fiquei curiosa para conhecer mais sobre essa história.

    Beijos
    http://www.dezoitoprimaveras.com.br

    Responder
  • Vanessa

    Você sempre falando de livros que dá muita vontade de ler agora mesmo haha. É tao gostoso encontrar um livro que nao conseguimos parar de ler, nao é? Nunca li nenhum livro que abordasse esquisofrenia, só alguns documentários mesmo. Enfim, gostei muito da resenha.

    Responder
  • hellz

    OI JADE

    eu curto muito o seu formato de resenhas, porque você consegue capturar pontos interessantes e expressivos da obra e acabar deixando a gente curioso pra ler. Os seus títulos já mostram bastante disso!
    na verdade, já vou caçar mais esse no skoob pra ler porque você conseguiu me pegar mais uma vez! HAHAHAHAH

    beijo
    http://www.beinghellz.com.br

    Responder

Receba as novidades: