Raposa Crítica
Freebie Banco de Ideias
Resenhas Literárias
GUIAS TERA ONLINE

'Juntando os Pedaços' de nossos corações com Jennifer Niven

Começar uma nova leitura com altas expectativas é sempre muito arriscado. Juntando os Pedaços, sendo escrito por Jennifer Niven, estava em níveis quase injustos de pré-julgamentos. É que a autora é a mesma de Por Lugares Incríveis, aquele livro que mexeu tanto comigo que fui incapaz de escrever uma resenha, mas trouxe uma série de quotes sobre a obra.

E aí que Juntando os Pedaços não conseguiu suprir todas as expectativas. Mas a culpa foi toda minha e consigo reconhecer isso.

Narrado nos pontos de vista de Jack e Libby, somos transportados para o drama adolescente que já conhecemos da obra de Jennifer Niven. Dessa vez o tema principal é o bullying e como rótulos podem afetar a vida de alguém.

Melhor ser o caçador do que a caça…

…Mesmo que a caça seja você mesma. Jack não consegue reconhecer o rosto de ninguém, nem das pessoas que mais ama. É que ele tem prosopagnosia. Quando ele olha para alguém ele vê olhos, nariz, boca, cabelo… mas não consegue juntar todos os pedaços e se lembrar depois.

Para sobreviver a isso, ele desenvolveu a técnica de usar marcas identificadoras. Um determinado tom de cabelo, uma marca na pele, jeito de se vestir, etc. Tudo isso para conseguir identificar seus amigos e familiares, lutando ao máximo para evitar que qualquer pessoa descobrisse seu problema.

As pessoas fazem merda por diversos motivos. Às vezes são simplesmente pessoas escrotas. Às vezes, outras pessoas fizeram merda com elas e, apesar de não perceberem, tratam os outros como foram tratadas. Às vezes fazem merda porque estão com medo. Às vezes escolhem fazer merda com os outros antes que façam merda com elas. É uma autodefesa de merda – Isso eu conheço bem.

— Juntando os Pedaços

Até o dia que ele se depara com Libby, a novata na escola. Libby está retornando finalmente à escola depois de anos em casa após a morte da mãe.

Com um sério quadro de ansiedade, ela finalmente se sentia pronta para voltar à convivência com outras pessoas. Contudo, ela acaba sendo vítima de uma terrível brincadeira por causa do seu peso. E então ela acaba na diretoria junto com Jack.

Não sou um merda, mas estou prestes a fazer merda…

Juntando os Pedaços é um livro pequeno. Apesar das quase 400 páginas, há várias páginas em branco e os capítulos são curtíssimos.

Alternando os capítulos entre Libby e Jack, vemos o relacionamento dos dois se tornar algo. E no meio desse algo, vários questionamentos sobre identidade, julgamentos e aparência.

Jennifer Niven sempre foi uma pessoa muito consciente ao levantar seus questionamentos. Escrevendo pro público jovem, ela apresenta vários problemas cotidianos dessa fase e que afetam-os emocionalmente e, melhor de tudo, ela também te oferece palavras de apoio.

Não é fácil acreditar que a gente é o centro de tudo, principalmente quando alguma coisa dá errado? Por que eu? Por que sou tão azarada? Por que o universo é tão terrível? Por que todo mundo me odeia? Minha mãe dizia que, às vezes, outra pessoa é o centro das coisas, mas calhou de a gente estar ali. Às vezes, essa pessoa precisa aprender uma lição ou passar por determinada experiência, boa ou ruim, e a gente é só um acessório, como um ator coadjuvante em uma cena.

— Juntando os Pedaços

Libby, principalmente, é incrível. Apesar de suas dificuldades e ser alvo de bullying por conta do seu peso, não se deixa abalar. Ela é forte, decidida, positiva e um exemplo. Com personalidade forte e alto nível de representatividade, eu passei toda a leitura querendo muito ser sua amiga.

Apesar de Juntando os Pedaços não ter sido um livro que entrou nos meus favoritos, talvez pelo fator identificação (já que Por Lugares Incríveis muito do que foi retratado ali eu já vivi e senti, e isso pesa bastante), essa é uma obra que não pode ser ignorada.

Leitura rápida, gostosa e consciente. Numa época que muitos autores estão tentando emplacar livros de problematização pelo tema estar em alta e muitos pecam por falta de conhecimento ou até romantização desses problemas, Jennifer Niven parece saber exatamente o que está fazendo.


Juntando os Pedaços
Título da obra: Juntando os Pedaços
Autoria: Jennifer Niven
Páginas: 392
Gênero: Young Adult, Romance
Editora: Editora Seguinte
ISBN: 9.78855534025E+12
Ano de publicação: 2016
Onde encontrar: SkoobGoodreads
Onde comprar: AmazonSaraivaSubmarino
Sinopse: Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.
Wishlist Literária para a Back Friday
'Para Cada Infinito' me fez querer jogar RPG!
Como sai da maior ressaca literária do ano

Receba as novidades:

8 comentários
  • Nath

    Eu quero muito ler Por Lugares Incríveis, até comecei mas parei por causa da correria. Gostei bastante da resenha e achei a historia bem interessante. Gosto de livros que abordam coisas 'não tão normais', digamos, como a doença de Jack.

    Responder
    • Jade Amorim

      Nath, esse tipo de história é ótima para nos fazer refletir e praticar a empatia. Fico feliz que tenha gostado da resenha e espero que consiga ler PLI logo, pois ele é incrível. ♥

      Responder
  • Mayara Vieira

    Ainda não conhecia esse livro, mas adorei sua resenha!! Bjs

    http://www.mayaravieira.com.br

    Responder
    • Jade Amorim

      Que bom que gostou, Mayara. 🙂

      Responder
  • RUDYNALVA CORREIA SOARES

    Jade!
    Bom ver uma personagem que apesar de todo preconceito consegue ter personalidade forte e seguir em frente e mais, encontrar alguém que também sofre de preconceito (por outro motivo) e ambos acabarem se entendendo e construindo um relacionamento que fará bem para os dois.
    “É melhor saber coisas inúteis do que não saber nada.” (Sêneca)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    Responder
    • Jade Amorim

      Rudy, apesar da força precisar vir de nós, é realmente incrível ter apoio. Adoro o relacionamento desses dois personagens! Beijos.

      Responder
  • carol sena

    eu amo esse livro, eu amo essa autora linda, a história é comovente, os personagens são inteligentes, engraçados e cheios de persnalidades, eu amo muito esse livro

    Blog Entre Ver e Viver

    Responder
    • Jade Amorim

      Carol, ela realmente é maravilhosa e o livro ótimo. ♥

      Responder

Receba as novidades: