Raposa Crítica
Freebie Banco de Ideias
Resenhas Literárias
GUIAS TERA ONLINE

Refúgios e histórias em 'Minha Vida Fora dos Trilhos'

Entre os muitos livros que eu comecei em outubro e só fui terminar na maratona literária que fiz no primeiro feriado de novembro, estava Minha Vida Fora dos Trilhos. Achei que, sendo da Clare Vanderpool, eu faria o mesmo que fiz com Em Algum Lugar nas Estrelas. Concluindo o livro  no mesmo dia e às lágrimas. Mas a verdade é que demorei para me conectar com Abilene, nossa protagonista.

Com apenas 12 anos, Abilene é deixada pelo pai na pequena cidade de Manifest. Não querendo que a filha seja uma errante como ele, que trabalha construindo ferrovias e nunca teve um lar fixo, deixa a garota sob a tutela de um antigo conhecido.

Apesar de a cidade ser considerada "um fim do mundo", a jovem ainda consegue encontrar aventuras e fazer amizades. Tudo enquanto espera ansiosamente pelo pai que tanto ama vir buscá-la.

Eu achava que sabia algumas coisas sobre as pessoas. Tinha até minha lista de universais. Mas agora estava em dúvida. Talvez o mundo não fosse feito de universais que podem ser arrumados em pacotinhos perfeitos. Talvez só tivesse pessoas. Pessoas que estavam cansadas, magoadas e sozinhas, da sua própria maneira e no seu próprio tempo.

— Minha Vida Fora dos Trilhos

Durante seus momentos de solidão e tédio, Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e objetos de apreço de seu antigo dono. Para a garota, a caixa vira uma caixa do tesouro, e esses tesouros trazem lembranças de uma história antiga da cidade. Que, claramente, Abilene quer muito desvendar. Seu objetivo é encontrar marcas de seu pai pela história da cidade, acreditando que assim ela pode se reconectar a ele, mesmo estando tão longe.

É neste momento em que o livro se divide. De um lado as aventuras da pequena e do outro a história antiga de Manifest. Misturando o passado e o presente, Clare nos leva a uma viagem de perda e redenção.

Não está em nenhum mapa. Os verdadeiros lugares nunca estão.

Ambientado na época da Primeira Guerra Mundial à Grande Depressão norte-americana nos anos 30, ouso afirmar que Minha Vida Fora dos Trilhos é uma história sobre histórias. E, claramente, sobre o poder que ouvir e contar uma história tem sobre você.

Mesmo tendo dificuldade de me envolver com as personagens, não posso reclamar de nenhum. São pessoas reais. Pessoas que carregam os medos, as inseguranças e as aventuras. O desejo de ser livre. E Abilene entra nessa narrativa como a pessoa que não vai deixar que nenhuma história seja enterrada e esquecida.

Quando há sofrimento, procuramos um motivo. E é mais fácil encontrar esse motivo dentro de si mesmo.

— Minha Vida Fora dos Trilhos

Com uma edição impecável, mais uma vez a Darkside figurou na minha estante. A edição é tão linda e inspiradora que fez com que eu, não satisfeita em montar um cenário, fosse até a antiga orla ferroviária da cidade para fotografar. E aí me obriguei a fazer a obra pular toda a minha lista de leitura.

São 320 páginas, mas existem vários "prints de jornal" em algumas páginas e a leitura flui diferente. Adorei o fato de que, sendo um flashback, ao invés de usar o clássico artifício do itálico, a editora apenas mudou a fonte do texto.

As duas histórias, apesar de se passarem em momentos diferentes, se completam com perfeição. E o fim é aquele que faz você ficar com o coração aquecido. Porque no fim, essa é uma história de uma garota buscando desesperadamente traços do amor do pai ausente.

Quem sonharia que alguém pode amar sem ser esmagado por esse peso?

— Minha Vida Fora dos Trilhos

Minha Vida Fora dos Trilhos
Título da obra: Minha Vida Fora dos Trilhos
Autoria: Clare Vanderpool
Páginas: 320
Gênero: Infantojuvenil
Editora: Darkside Books
ISBN: 9.78859454032E+12
Ano de publicação: 2018
Onde encontrar: SkoobGoodreads
Onde comprar: AmazonSaraivaSubmarino
Sinopse: A protagonista de MINHA VIDA FORA DOS TRILHOS, Abilene Tucker, tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest, Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia.O que parecia ser o período mais solitário e entediante de sua vida ganha um novo e surpreendente rumo quando Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e pequenas lembranças de outros tempos. Aos olhos curiosos da menina, a caixa se torna uma verdadeira arca do tesouro, onde segredos enterrados conectam dois momentos da cidade. A partir de então, o livro se divide em duas narrativas cronológicas: passado e presente se misturam, daquela maneira mágica que só um bom livro consegue contar.
Wishlist Literária para a Back Friday
'Para Cada Infinito' me fez querer jogar RPG!
Como sai da maior ressaca literária do ano

Receba as novidades:

3 comentários
  • RUDYNALVA CORREIA SOARES

    Jade!
    Gosto muito quando a ambientação se dá na primeira guerra (mesmo que aqui seja apenas uma parte do livro) e gosto ainda mais quando tem cartas no enredo, elas são reveladoras e guardam segredos do passado que ninguém se preocupa em vasculhar.
    Deve ser um livro mais que emocionante.
    Os livros da editora são sempre um arraso.
    Bem quero embarcar nesses trilhos e curtir a viagem nas folhas do trem, deverá ser emocionante.
    Desejo uma semana carregadinho de luz e paz!
    “ Inteligência não é não cometer erros, mas saber resolvê-los rapidamente.” (Bertolt Brecht)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    Responder
  • Mayara Vieira

    Ainda não conhecia, mas me interessei em ler <3

    http://www.mayaravieira.com.br

    Responder
  • Vanessa

    Que bacana, ainda nao conhecia. Eu gosto de histórias sobre histórias rs.
    Ah e o cenário das fotografias ficou perfeito. Adoro quando alguém tem esse carinho de criar uma foto com todo um conceito (no caso algo relacionado ao livro). Muito amor <3

    Responder

Receba as novidades: