Raposa Crítica
Freebie Banco de Ideias
Resenhas Literárias
GUIAS TERA ONLINE

O clichê satisfatório de O Príncipe Leopardo

O Príncipe Leopardo, segundo livro da Trilogia dos Príncipes, escrito por Elizabeth Hoyt caiu na minha mão por acidente. Um dos livros que tinha solicitado na parceria com o Grupo Editorial Record se esgotou antes que eu pudesse recebê-lo e, assim, me pediram para escolher outro, e optei por este romance.

Quando eu li O Príncipe Corvo, me surpreendi muito com a narrativa da Elizabeth Hoyt. Fui completamente descrente de um bom livro e encontrei uma protagonista feminina, forte e independente. Num romance de época!

Então, bom, eu não esperava nada menos que isso com O Príncipe Leopardo. E a sinopse prometia. Nada podia dar errado, certo? Né? *risos nervosos*

Eu posso ser um servo, mas não sou burro

Sempre achei romance hot um negócio meio problemático. Geralmente a narrativa é tão focada nas cenas de sexo, que a história acaba sendo deixada de lado. E as vezes isso é melhor do que muitas histórias que romantizam abuso por ai. O Príncipe Leopardo caiu na primeira categoria (dos males o menor, ufa!).

A mocinha da vez é Lady Georgina Maitland. Uma mulher independente e dona das próprias terras sem a menor intenção de arranjar um marido. O nosso galã? Harry Pye, um homem muito bem apessoado e administrador das terras que Georgina possui.

Eu preciso continuar?

Quando descobrira que o proprietário das varias terras que administraria era uma mulher, Harry ficara surpreso. Mulheres, em geral, não eram donas de terras. Normalmente, quando uma mulher possuía uma propriedade, havia um homem – filho, um marido ou um irmão – por trás de tudo, o verdadeiro mandante, a pessoa que decidiria como as terras seriam administradas. Mas, embora Lady Georgina tivesse três irmãos, era a própria dama que estava no controle.

— O Príncipe Leopardo

É o clichê dilema de dama e empregado. Uma atração insana e nooooooossa mas ele é inferior, e a autoestima dele como que fica? Sua masculinidade, sua honra!

Acrescente aqui uma pitada de novela mexicana e situações absurdas e pronto. O livro é basicamente muita cena de sexo, dilemas familiares e… animais sendo mortos e pessoas querendo incriminar nosso protagonista.

MAS QUAL A VANTAGEM DO CLICHÊ?

Você achou que eu iria ficar falando mal do livro né? Pois pode tirar seu cavalinho da chuva porque, afinal, clichê existe porque clichê funciona.
Li o O Príncipe Leopardo em poucas horas. Devorei ele. Ri, fiquei ansiosa pelo o que aconteceria a seguir e meio eita! com o sexo selvagem. Em matéria de entretenimento a obra serviu perfeitamente.

E tem hora que ler livros é exatamente isso, um subterfúgio da realidade e maneiras de descansar depois de um dia cheio.

O Sr. Pye, lutando com a rolha de uma garrafa de vinho branco, ergueu o olhar e sorriu para ela. Por um momento, Georgina se perdeu naquele sorriso, o primeiro sorriso de verdade que vira no rosto dele.

— O Príncipe Leopardo

Se você quer uma obra mais intelectualmente desafiadora, você pode entrar na nossa listagem de resenhas e ver outras indicações que eu fiz. Agora, se você quer se divertir, ler umas sacanagens e ama um barraco… cola aqui mesmo que esse livro é pra você.

Elizabeth Hoyt sabe como entreter, e mesmo que tenha rolado uma decepção por eu estar esperando algo ótimo e tem encontrado só algo bom, O Príncipe Leopardo entrou pra lista de romances hots que eu não odeio. O que é um senhor mérito por si só.

Uma edição elegante

Particularmente eu adoro a capa da Trilogia dos Príncipes. A aplicação em dourado com fundo colorido e os arabescos rebuscado dão uma certa presença pro livro. Acho a foto no centro meio perdida, mas nada que me incomode.

Lançado pelo Grupo Editorial Record,O Príncipe Corvo (o primeiro livro) e O Príncipe Serpente (o último livro da trilogia), já estão a venda. As histórias se interligam de maneira muito suave, sem a necessidade de ler numa determinada ordem.


O Príncipe Leopardo
Título da obra: O Príncipe Leopardo
Série: Trilogia dos Príncipes #2
Autoria: Elizabetg Hoyt
Páginas: 350
Gênero: Romance Hot
Editora: Editora Record
ISBN: 9.99909734838E+12
Ano de publicação: 2017
Onde encontrar: SkoobGoodreads
Onde comprar: AmazonSaraivaSubmarino
Sinopse: A única coisa que uma dama jamais deve fazer... Lady Georgina Maitland não quer um marido, embora ela pudesse ter um bom administrador para cuidar de suas propriedades. Ao pôr os olhos em Harry Pye, Georgina percebeu que não estava lidando apenas com um criado, mas com um homem. É se apaixonar...Harry conheceu muitos aristocratas — incluindo um nobre que é seu inimigo mortal. Mas nunca conheceu uma dama tão independente, desinibida e ansiosa para estar em seus braços. Por um criado. Ainda assim, é impossível ter um relacionamento discreto quando ovelhas envenenadas, aldeões assassinados e um magistrado furioso tumultuam o condado. Os habitantes culpam Harry por tudo. Enquanto tenta sobreviver em meio à desconfiança e manter o pescoço de Harry longe da forca Georgina não quer perder outra noite de amor.
As Coisas que eu Aprendi Depois que eu LI!
A diversidade em 'A longa viagem a um pequeno planeta hostil'
Resenha – Liberte meu Coração

Receba as novidades:

Receba as novidades: