A estranheza de ‘O segredo de Heap House’

Maio foi um mês complicado pra mim em questão de leitura. Tava com dois livros simultâneos empacados em que eu tentava em um, não dava, ia pro outro. Foi quando chegou, ali na metade do mês, O Segredo de Heap House aqui em casa. Tinha solicitado ele em abril, completamente apaixonada pela premissa de fantasia.

Ignorei todas as outras leituras atrasadas e torci para que fosse esse o livro a me tirar da ressaca. E como tirou. Para começar a falar sobre O Segredo de Heap House eu só consigo pensar em uma sentença:

Eu nunca li nada igual. É completamente original para mim.

A nossa narrativa acompanha dois personagens: Clod Iremonger e Lucy Pennant. Clod é um garoto da rica família Iremonger, que construiu sua fortuna através do lixo. Em uma família que vive num amontoado de casas, cercados pelo lixão (chamados de cúmulos), que só se casam entre si para manter a linhagem e carregam consigo objetos de nascença que ditam “quem eles são”, seria difícil imaginar que alguém pudesse ser considerado estranho. Mas Clod é, e tudo por conta de uma peculiaridade: ele consegue escutar os objetos falando.

Eu ouvia apenas nomes, sempre somente nomes, alguns sussurrados, outros berrados, outros ainda cantarolados ou esbravejados, alguns pronunciados com modéstia, outros com grande orgulho ou com uma sofrida timidez.

É importante lembrar que nessa história estamos em um futuro completamente fantasioso. Nesse universo o lixo tomou conta de tudo. A terra não aguenta mais o lixo e as pessoas vivem em volta deles. O lixo é cultuado. É dele que vem o sustento de uma grande parcela da população, mesmo que você não faça parte dessa classe de trabalhadores, você há de lidar e com ele e conviver com seu cheiro para sempre.

A presença do lixo é tão forte que Lucy Pennant, a nossa segunda protagonista e narradora, chama de casamento quando uma pessoa é designada a trabalhar nos cúmulos.

Inicialmente Lucy vivia com os pais, porém eles acabam morrendo de uma doença que assola tanto objetos quanto pessoas e ela se vê num orfanato. Desesperada para sobreviver sem precisar ‘se casar’ com os cúmulos, ela aceita a proposta de um estranho que vai buscá-la, alegando que ela pertence à linhagem Iremonger, mesmo que não seja uma sangue puro.

Agora, nada mais me resta
Ninguém mais meu nome vai chamar
Apenas a última queixa funesta
De algo que só pode se envergonhar
Um nada sem nome e sem rosto
Jaz lá fora em um amontoado
Destruído, derrubado, decomposto
E nunca mais voltará a ser achado

Assim como todos que possuem o sangue Iremonger, mas não são de uma linhagem limpa, Lucy vai trabalhar como criada. Sem seu nome – apenas os da família os mantinham, todos os criados recebiam a denominação de Iremonger, perdendo sua identidade -, ela se vê sem nada e desesperada para continuar lembrando de quem é.

Quando a tia Rosamund perdeu seu objeto de nascença (uma maçaneta), coisas estranhas começam a acontecer. A família Iremonger entra em desespero e Clod, podendo ouvir o grito desesperado dos objetos, não consegue ficar alheio.

Em suas buscas, Clod e Lucy se cruzam quando ela está limpando as lareiras de madrugada. Acontece que os servos nunca devem interagir com os puro-sangue, então eles vivem no subsolo e só sobem durante a noite. Mas Lucy se desesperou e talvez possamos chamar bater na cabeça de Clod com um balde de interação.

Sem dúvidas, aquele era um lugar peculiar, cheio de comportamentos peculiares, mas pouco importa, pensei; as pessoas são peculiares. E as pessoas com dinheiro têm a liberdade de ser tão peculiares quanto quiserem.

Acreditando que talvez Clod pudesse ajudá-la a descobrir o que aconteceu com uma Iremonger desaparecida, Lucy faz um acordo: ela conta para Clod como é viver em Londres, de onde veio, desde que ele ajude-a a descobrir o verdadeiro nome e o paradeiro de sua primeira amiga em Heap House.

E aí você já se viu completamente seduzido por essa história tão bem narrada. Com capítulos alternados entre os dois protagonistas e tão… estranha.

Mas é um estranho bom. Um estranho ótimo. Um estranho que te faz querer e precisar ler mais.

Escrito e ilustrado por Edward Carey, as ilustrações que divide os capítulos lembram muito algo que podia muito bem ter saído da cabeça de Tim Burton. É desolador, triste e fascinante. Há além da imagem dos personagens, também um mapa de Heap House.

De leitura fácil, mas não tão rápida assim, é bastante natural imergir na história. Lixo criando vida, pessoas com seus objetos de nascença, sujeira e encantamento. O Segredo de Heap House foi um dos primeiros livros a entrarem na minha lista de favoritos do ano. E a melhor parte? Vai ter mais das Crônicas dos Iremongers! ♥


Nome: O Segredo de Heap House
Autor: Edward Carey
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 381
Goodreads | Skoob

Sinopse: Clod é um Iremonger. Ele vive nos Cúmulos, um vasto mar de itens perdidos e descartados coletados em Londres. No centro dos Cúmulos está Heap House, um quebra-cabeça de casas, castelos, cômodos e mistérios recuperados da cidade e transformados em um labirinto vivo de escadas e criaturas rastejantes. Uma tempestade está se formando sobre Heap House. Os Iremonger estão inquietos, e os objetos falantes estão gritando cada vez mais alto. Os segredos que mantêm a casa em pé começam a vir à tona para revelar uma verdade sombria capaz de destruir o mundo de Clod. Tudo, porém, começa a mudar quando ele encontra Lucy Pennant, uma órfã rebelde recém-chegada da cidade.

Related Posts

19 Discussion to this post

  1. Mandy disse:

    Me interessei desde o momento que vi o livro, depois que li a resenha já comecei a procurar por ele haha. Quero muito ler pra ontem já! Nunca tinha lido um livro assim, mas me lembrou vagamente de desventuras em série e um pouco dos filmes do Tim Burton, como você citou. Genial rs.

    beijos,
    deloucostodossomosumpouco.blogspot.com.br

  2. Nossa Jade Que História Linda Que Não Deixa de se Assemelhar com muitas Famílias Brasileiras que Tiram seus Sustento De Leixões como este Gostaria Muito de Ler O Livro uma história Muito emocionante que prende nossa atenção do começo ao fim Amei.

  3. Quero esse livro pra ontem na minha mesaaaa <3 que blog lindo. Tudo aqui é tão criativo e tua escrita é linda demais, viu?
    Muito cativante.

  4. Brenda disse:

    Nossa que legal, esse eu não conhecia, confesso que me apaixonei pela capa <3 vou anotar para minha lista de próximos livros pra lê, no memento estou lendo Quem é você Alasca?, já viu? Beijos

  5. NOOOOOSSA!!! Que intenso esse livro, não tinha lido ou ouvido falar nele ainda! :O É bem recente mesmo.. Adorei a tua resenha, flor. Ainda não sei se é o tipo de leitura que eu curto.. mas me interessei bastante.
    Um suuuper beijo, By Morgana PZK

  6. Vanessa disse:

    Meu Deus, me apaixonei por essa resenha :O
    que vontade de ler esse livro agora.
    Só os pequenos trechos que você copiou aqui já me deixaram encantada!

  7. Jenifer disse:

    Não conhecia esse livro, mas ele parece ser daqueles que te prendem total atenção. Me deixou super curiosa sua resenha e a capa super ajudou!

  8. Raissa Gomes disse:

    Parece realmente muito interessante! Deu vontade de ler também, apesar de a minha fila de leitura estar enooorme rs rsrs
    Ótimo post 🙂

  9. Livros de fantasia são bem novidade pra mim, acho que ainda não li um que não seja os mais famosos.
    to montando uma listinha, quem sabe eu não começo

  10. Aline Pereira disse:

    Nunca tinha ouvido falar do livro e achei muito interessante. Pelo que vc disse deve ser mesmo estranho…. mas to confiando que é mesmo um estranho muito bom! Vou procurar ler também! Beijos

  11. Lana disse:

    Só pela capa já percebi que o livro promete, viu ? super amei a forma com você foi, ao longo da resenha, falando tópicos sobre o livro, isso gerou a vontade de querer realmente lê-lo para conhecer melhor. Adorei de verdade, beijos !

  12. Nunca tinha ouvido falar desse livro, achei bem interessante. Além de que a resenha ficou maravilhosa.
    Super beijos! ❤
    http://www.pausapracriatividade.com

  13. Karol Rabêlo disse:

    Primeiro, vou falar que achei top esse mês de resenhas! Gostei muito da resenha, parece ser um livro bem incrível! Beijo :*

  14. Já adicionei na lista dos “à ler”, por causa da sua resenha tive a curiosidade desperta e agora preciso saber como essa história termina. Pareceu-me ter uma certa crítica quando você mencionou os de “sangue puro” e os que não são. Talvez eu esteja errado, mas me fez pensar que a narrativa combate o preconceito. Abraços

  15. Karina Pinho disse:

    Eu amei o livros desde a capa, e a sua resenha só fez me querer incluir na minha lista ! Que resenha completa! Amei! <3

  16. Andressa Ferrer disse:

    Esse livro entrou para a minha lista de desejados esses dias ^^ Assim que me deparei com a capa dele, achei ela bem peculiar, mas depois que li a sinopse gostei mais ainda, hehe. Lembrei muito do Tim Burton quando me deparei com a capa e as ilustrações dele, achei muito a cara dele *-* Já estava morrendo de curiosidade para ler, agora eu não estou é me aguentando, rs. Preciso desse livro urgentemente <3
    Beijos :*

  17. Maihara disse:

    Nunca tinha visto falar desse livro, sua resenha me deixou curiosa para ler,

  18. Jessy disse:

    Que livro incrível! Fiquei morrendo de curiosidade quando vi ele na livraria e agora mais ainda!

  19. Stefanie O. disse:

    Oiiii!!!
    Obrigada pela visita lá no blog. Eu vi seu comentário sobre o coletor e já respondi!
    https://generoproibido.blogspot.com.br/2017/06/resenhacoletormenstrualinciclo.html?showComment=1497216948877#c726891362207034958

    Espero ter ajudado! Qualquer dúvida ou se quiser trocar ideia, entre no grupo do facebook! Tem muita coisa legal lá sobre o coletor, menstruação e etc.
    https://www.facebook.com/groups/MENSTRUAR/

    Beijoooo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *